Para atrair eleitores, Lula pede a Haddad que não vá mais a Curitiba


O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, deve parar de ir a Curitiba para visitar o ex-presidente Lula na Superintendência da Polícia Federal no segundo turno.

A mudança de estratégia visa a diminuir a sua rejeição entre o eleitorado pouco simpático ao PT, sobretudo das regiões Sul e Sudeste, e atrair partidos de centro em uma aliança contra o deputado Jair Bolsonaro (PSL). Desde que foi anunciado como substituto de Lula, Haddad foi a Curitiba toda semana numa demonstração de lealdade ao ex-presidente, preso e condenado por corrupção e lavagem de dinheiro na Operação Lava Jato.

Na segunda-feira 8, ele ouviu de Lula, da cadeia, que “não precisava mais ir a Curitiba e deveria focar em fazer campanha na rua”, segundo a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann.