• Equipe da secretaria de educação de ST está em Brasília e Duque comemora avanços na pasta

    O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT) está em Brasília com toda sua equipe de governo que integram a Secretaria de Educação. Ao falar com Júnior Campos, o gestor da Capital do Xaxado externou a alegria da conquista de ter o município listado para executar o Projeto de Modernização da Gestão da Educação, que prever formações específicas sobre a plataforma Conviva Educação, idealizada pela Undime, em parceria com o Instituto Natura. Só sete municípios e Pernambuco foram selecionados.

    “Nossa equipe está toda Brasília com despesas pagas, pela Natural Brasil, para participar de toda formação. É mais uma conquista para a melhoria da educação do nosso município”, disse Luciano.

  • Marconi Santana recebe Frente Parlamentar de Revitalização do rio Pajeú, nesta segunda (24)

    O prefeito de Flores, Marconi Santana do PSB recebe nesta segunda (24), a Frente Parlamentar de Revitalização do rio São Francisco de demais rios de Pernambuco. A chegada da frente está prevista para acontecer às 13h, onde Marconi receberá os parlamentares na sede administrativa municipal, para um  e depois segue para uma visita a diversos pontos do rio Pajeú.

    O deputado Odacy Amorim do PT é o coordenador geral da Frente que tem como membros efetivos os deputados Miguel Coelho (PSB), Lucas Ramos (PSB), Socorro Pimentel (PSD), Rodrigo Novaes (PSD), Tony Gel (PMDB) e Júlio Cavalcanti (PTB).

    O objetivo do grupo é a promoção de política públicas de sustentabilidade hídrica em consonância com a biodiversidade do Velho Chico e dos outros mananciais do estado.

  • Duque comenta palestra em Brasília, governista avalia saída de Euclides e Marconi reúne servidores

    EM ALTA: O prefeito de Serra Talhada sem perca de tempo já colocou o pé na estrada rumo ao Distrito Federal. Duque foi convidado para compor a FNP – Frente Nacional dos Prefeitos. Ao falar com Júnior Campos, neste sábado, Luciano revelou que foi convidado para ocupar a cadeira de vice-presidente da instituição; presidida por Donizete, prefeito de Campinas – SP.

    Sobre o convite, o prefeito de Serra Talhada disse que vai “avaliar” e adiantou que será um dos comentaristas da palestra agendada para o próximo dia 27 no Estádio Nacional Mané Garrincha.  “Vamos falar sobre as políticas exitosas de Serra”.

    EUCLIDES FERRAZ EM PAUTA: Em reserva, aliado de Duque avalia as movimentações no bloco de oposição liderado por Sebastião Oliveira, auxiliar de Câmara na pasta de transportes, como uma “depuração natural”. Pedindo anonimato, o governista ao falar com o signatário deste canal virtual de notícias ainda avaliou a saída de Euclides Ferraz da seguinte maneira:

     “A fila tá grande dos que querem fazer parte do projeto vitorioso que vem mudando a história de Serra Talhada. Euclides foi, por que não teve espaço. Oportunidade teve, mas faltou capacidade e gestão. Poderia ser um ícone do meio ambiente...ficou na mesmice”, disse.

    BOA...: Em Triunfo, a frota do transporte escolar da Prefeitura de Triunfo passa a ter monitoramento interno por câmeras. Mais segurança para as crianças no trajeto casa-escola. “Possibilidade de acompanhamento pelos pais e mais controle sobre o transporte escolar”, comemorou o prefeito.

    AGENDA POSITIVA: Em Flores, Marconi Santana aproveitou o feriado prolongado para fazer uma série de reuniões com o funcionalismo, coordenadores, diretores e secretários. Na pauta, Marconi colocou como prioridade excelência no atendimento aos munícipes e “união para reconstrução de Flores”. Marconi ainda prestou contas dos primeiros meses de gestão e comemorou o início dos trabalhos da construção do sistema adutor do Tenório, que vai erradicar a sede de 260 (duzentas e sessenta) famílias.

    SÓ PENSA EM 2018: Não tem mais quem convença Sinézio Rodrigues desistir de entrar na disputa por uma cadeira na Casa de Leis de Pernambuco. Ao compartilhar uma foto, onde aparece sentado na bancada da ALEPE, o petista animado colocou na legenda: “Talvez a minha futura cadeira na Assembleia Legislativa”.

     

  • De olho na ALEPE, com reforço de ex-prefeito Victor adianta agenda e Sebastião esvazia o PSB em ST


    O empresário Victor Oliveira do PR, que foi derrotado nas eleições municipais do ano passado por Luciano Duque do PT; com 2018 batendo à porta resolveu colocar o pé na estrada. Victor apesar de não afirmar dá sinais que vai entrar na disputa por uma cadeira na Casa Joaquim Nabuco.

    No Feriado de Páscoa, acompanhado do ex-prefeito Carlos Evandro que trocou o PSB de Paulo Câmara pelo PR de Sebastião Oliveira, o administrador de empresas escreveu no instagram que comeu angu com galinha em Água Branca e Fazenda Barros. Em outra publicação mais recente, o neto de Inocêncio disse que esteve em Santa Rita com o médico e suplente vereador Waldir Tenório.

    FORTALECENDO O PR E ESVAZIANDO O PSB

    Como se não bastasse sorver o fôlego que resta de Paulo Câmara, principalmente quando vem ao Pajeú, suprimindo a passagem do governador pelas cidades onde tem lideranças históricas do PSB; Oliveira vem esvaziando sem timidez a legenda na Capital do Xaxado. Após ‘pedir a cabeça’ de Ronaldo Melo, o deputado federal licenciado tirou o ex-prefeito Carlos Evandro do comando do PSB.  

  • Ministro da Educação assegura R$ 4 milhões para Duque construir escola padrão FNDE

    O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque do PT recebeu do Ministro da Educação, Mendonça Filho do DEM, a garantia de liberação dos recursos nada ordem de R$ 4 milhões para construção de uma escola de 12 (doze) salas. A Escola Padrão FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação será erguida no Bairro do IPSEP e vai funcionar em regime integral.

    O projeto Espaço Educativo Urbano de 12 Salas de Aula destina-se à orientação para a construção de escola de um pavimento, a ser implantada nas diversas regiões do Brasil.

    O edifício tem capacidade de atendimento de até 780 alunos, em dois turnos (matutino e vespertino), e 390 alunos em período integral. Foi considerada como ideal a implantação dessas escolas em terreno retangular com medidas de 80m de largura por 100m de profundidade e declividade máxima de 3%. 

    A conquista é mais uma promessa de Duque feita durante o período eleitoral que sai do papel.

  • Para Danilo Cabral, flexibilização do texto da reforma não atende demandas da sociedade

    O movimento de flexibilização de alguns pontos da proposta de Reforma da Previdência não atendeu à expectativa da sociedade", avalia o deputado federal Danilo Cabral (PSB-PE). O parlamentar participou, na manhã desta terça-feira (18), do café da manhã oferecido pelo presidente Michel Temer para apresentar as mudanças realizadas no texto a fim de tentar aprová-lo na Câmara dos Deputados.

    Segundo Danilo Cabral, continua sendo uma proposta muito dura para os trabalhadores. "O governo propõe austeridade para os mais fracos, mas não para os que estão no andar de cima", critica. Ele cita como exemplos a manutenção da elevação da idade mínima das mulheres para a aposentadoria rural e dos professores, a ausência de mecanismos de cobrança dos grandes devedores do sistema previdenciário e a redução das renúncias fiscais feitas com recursos da seguridade social.

    O deputado diz que, pelo que conversou outros parlamentares presentes no encontro, dificilmente o governo obterá os 308 votos necessários para a aprovação da reforma em Plenário. "Tanto que a leitura do relatório, prevista para hoje (18), foi adiada para amanhã (19) numa tentativa de refiná-lo ainda mais", comenta Danilo Cabral. Espera-se, ressalta ele, que haja um pedido de vista após a leitura do relatório, fazendo com a proposta só chegue ao Plenário em maio.

    Danilo Cabral reafirma que não votará a favor da Reforma da Previdência mesmo com as modificações no texto. Desde o início da tramitação do projeto no Congresso, ele tem adotado uma postura crítica, inclusive defendendo que não há déficit no sistema de seguridade social brasileiro, que engloba as áreas de saúde, previdência e assistência social. "Apesar de ter uma visão crítica à proposta, fui escutar o que o presidente Temer, o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) e o relator Arthur Maia tinham a dizer", justifica.

  • Em ST, bate boca e troca de farpas entre Rosimério de Cuca e Antônio de Antenor

    A sessão da noite desta Segunda (17), da Câmara de Vereadores de Serra Talhada foi bem tumultuada. Com direito a bate boca e troca de farpas entre os Vereadores Rosimério de Cuca e Antônio de Antenor. O primeiro governista, e o segundo oposicionista.

    Toda a polêmica da noite se deu por conta da novela do carro da STTrans que foi flagrado parado, em pleno carnaval deste ano, na cidade de São José do Belmonte, que fica há cerca de 60 km de Serra Talhada.

    O oposicionista do PR, Antônio de Antenor disse que "A população merecia uma explicação sobre o que um carro que pertence a prefeitura da cidade e presta serviços ao povo do município estava fazendo ali. Nós vamos entrar com requerimento para apurar essa situação e descobrir o que aconteceu".

    Já o governista Rosimério de Cuca do PMN, rebateu o colega e o criticou dizendo: “Tanta coisa pra o senhor se preocupar, e o senhor fica se preocupando com um carro? Nossa cidade tem tantos problemas mais importantes e o nobre vereador se preocupando com um carro?", criticou.

    No final de tudo, entrando pelas beiradas, o vereador Gilson Pereira, do PROS, que se diz independente, intercalou a discussão dizendo que " cada um age como acha que deve agir". Gilson se referiu aos colegas que estavam em discussão, mas também não poupou o governo municipal de críticas, e afirmou que tudo deveria sim ser apurado.

  • Danilo Cabral defende Constituinte para debate reformas

     

    O deputado federal Danilo Cabral (PSB-PE) defendeu, nesta segunda-feira (17), a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte. O objetivo, explica, seria fazer uma revisão na atual Constituição, promulgada em 1988, englobando todas as reformas que estão discussão no Congresso Nacional, como a política, a previdenciária, a trabalhista. "Vivemos uma crise de legitimidade. É esse Congresso, que está em suspeição, que vai operar as reformas", criticou em debate na rádio CBN Recife. 


    Segundo Danilo Cabral, há necessidade de se fazer um amplo debate sobre a institucionalidade brasileira e, por isso, esse não é o momento ideal - com o governo com baixa aprovação e o Congresso desacreditado pela sociedade - para promover reformas. Na opinião do parlamentar, seria necessário retomar a legitimidade. "E só quem devolve a autoridade do Congresso é o voto popular", acrescentou. 


    Para ele, é necessário fazer uma "travessia" até 2018, promovendo um ajuste mínimo nas regras eleitorais vigentes, e, nas eleições gerais, eleger um Congresso que fará as mudanças na Carta Magna. O deputado lembrou que, atualmente, existem mais de 90 emendas à Constituição vigente, mostrando ser preciso atualizar o texto. 


    Danilo Cabral reafirmou que a Reforma da Previdência, da maneira como está posta, não será aprovada na Câmara dos Deputados. "A flexibilização de alguns pontos é uma tentativa do governo federal para que a proposta passe, mas ainda assim terá dificuldades. "São medidas muito duras com a população", opinou. Quanto à reforma política, ele apontou duas questões: a aprovação da cláusula de barreira e do fim das coligações partidárias para disputas proporcionais. Sobre a reforma trabalhista, o deputado disse que não é favorável a seu principal ponto, a prevalência da negociação coletiva em relação à legislação. 


    A discussão sobre a convocação de uma Constituinte teve início no Congresso Nacional no ano passado. Os deputados Rogério Rosso (PSD-DF) e Miro Teixeira (Rede-RJ) chegaram colher 172 assinaturas para a tramitação de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para tratar sobre o tema. A proposta, no entanto, foi devolvida aos autores pela Mesa Diretora da Câmara por ser considerada inconstitucional. Ainda assim, diante da crise que passa o País, a ideia ganha cada vez mais corpo entre os parlamentares. 


    REUNIÃO - Pela manhã, Danilo Cabral se reuniu com educadores ligados à Gerência Regional da Mata Centro, em Vitória de Santo Antão. Trataram sobre o impacto da Reforma da Previdência para os profissionais da educação. No total, 13 municípios fazem parte da GRE.

  • Reajuste do mínimo já acumula impacto de R$ 25,407 bilhões na folha municipal; diz estudo

    A Confederação Nacional de Municípios (CNM) acompanha o impacto da política de valorização do salário mínimo nas contas municipais. Considerando-se o período entre 2003 a 2015, o reajuste do mínimo já acumula impacto de R$ 25,407 bilhões na folha municipal. Com o aumento do salário previsto no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) 2018, o impacto nas folhas de pagamento municipais pode atingir R$ 39, 948 bilhões até 2020.

    Os cálculos elaborados pela entidade foram realizados com base nos dados disponibilizados na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) divulgada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Ressalta-se que, como a última atualização disponível da Rais é de 2015, os cálculos da CNM para a previsão do impacto do aumento do salário mínimo foram feitos com base no efetivo municipal desse ano.

    A nova meta de resultado primário e os parâmetros macroeconômicos referentes aos próximos anos e que estarão presentes no PLDO de 2018 foram anunciados pelo governo federal no dia 7 de abril. O texto será encaminhado ao Congresso Nacional. De acordo com o governo, apesar da previsão do déficit primário para 2018 ser de R$ 129 bilhões, a estimativa é que o Produto Interno Bruto (PIB) do país tenha crescimento real de 2,5% em 2018 e 2019, chegando em 2020 a 2,6%. Para o salário mínimo, a previsão para o aumento do próximo ano é de R$ 979, subindo para R$ 1.029 em 2019 e para R$ 1.103 em 2020.

    A Confederação destaca que os Municípios têm mais de seis milhões de funcionários com remuneração vinculada ao salário mínimo, representando o maior empregador do Brasil. Para a entidade, apesar de a política de valorização do salário mínimo ser positiva à população e ao conjunto da economia, causa problemas de caixa às prefeituras. Isso porque pressiona as folhas de pagamento, principalmente em regiões do país em que os Municípios possuem baixa arrecadação e a maior parte dos funcionários é paga pelo piso nacional.

    Veja o estudo completo aqui

  • Delatores da Odebrecht citaram 415 políticos de 26 partidos

    Segundo o jornal “O Estado de São Paulo” deste domingo (16), os delatores da Odebrecht citaram em seus depoimentos os nomes de 415 políticos de 26 partidos.

    O PT é o que tem o maior número de citações (93), seguido pelo PMDB e o PSDB, ambos com 77. De Pernambuco aparecem o senador Humberto Costa (PT), o ex-senador Sérgio Guerra (PSDB), já falecido, e o deputado federal Betinho Gomes (PSDB).

    Também aparecem na citação dos delatores o presidente Michel Temer e cinco ex-presidentes da República: José Sarney (PMDB), Fernando Collor (PSC), Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT).

    Além deles, também aparecem nas delações os senadores José Serra (PSDB-SP), Aécio Neves (PSDB-MG), Aloysio Nunes (PSDB-SP) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), os governadores Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e Fernando Pimentel (PT-MG), o ex-governador Eduardo Campos (PSB-PE) e o pastor Everaldo Pereira (PSC-RJ).

    O PP é a quarta sigla mais citada nas delações, com 35 membros, incluindo o seu presidente, senador Ciro Nogueira (PI), seguido pelo DEM com 22 citações.

    O PSB tem 19 membros citados pelos delatores, o PSD 15, o PTB 11, o PR e o PCdoB 10, o PPS 9 e o PDT 8.

  • Marconi diz que já conseguiu estampar a mudança que “vinha sendo desejada pelo povo”

    Em seu discurso comemorativo pelos seus primeiros dias de governo, o prefeito de Flores, elogiou e reconheceu o trabalho de sua equipe de governo e pregou o fim da rivalidade partidária na cidade.

    Marconi, ao fazer uso da palavra declarou que "com esses cem dias de governo nós conseguimos estampar a mudança que desde lá atrás vinha sendo desejada pelo povo. Com isso nós colocamos Flores no caminho do desenvolvimento novamente. Queremos dividir o esforço desses primeiros dias de trabalho com todos os nossos colaboradores, nossos secretários que trabalham de dia e de noite, aos Sábados e Domingos, nossos garis que retiraram mais de cem toneladas de lixo das ruas, e quero dizer que isso é só o começo de um trabalho bem maior que faremos pela frente em favor do bem estar da nossa população. Vamos resgatar nossas quadrilhas, nosso São João, nossos grupos teatrais. Vamos reformar a Escola de Música Petronilo Malaquias, e juntos faremos mais por Flores, faremos por nossos estudantes dando condições para que eles se desloquem para suas faculdades em Serra Talhada. Temos que acabar com essa história de partido A ou B. Agora temos que pensar que somos todos Flores", ressaltou.

    O Gestor pregou a união de todos os partidos para o desenvolvimento do Município, e ainda enumerou várias ações para saúde, saneamento básico e agricultura familiar, que segundo o mesmo serão colocadas em atividade até o fim deste ano.

    Confira o discurso clicando AQUI.

  • Para intimidar Dilma, Odebrecht enviou documentos sobre caixa 2

    O ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, enviou à presidente Dilma Rousseff, por meio do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), documentos que demonstravam o caixa dois em sua campanha de 2014. O objetivo seria demonstrar que a petista não estava blindada na crise de corrupção que se instalou em seu governo e pressioná-la a tomar providências quanto ao avanço da Lava Jato.

    O relato foi feito pelo ex-diretor de Crédito à Exportação da Odebrecht Engenharia e Construção João Nogueira em depoimentos à Procuradoria-Geral da República (PGR). Ele descreveu uma série de encontros com Pimentel no fim de 2014 para tratar de estratégias para evitar que as investigações levassem o governo petista e a empreiteira a uma debacle. Na época, o petista havia acabado de se eleger governador, após um período de pouco mais de três anos como ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

    Segundo Nogueira, Marcelo Odebrecht viajou a Belo Horizonte em 17 de dezembro de 2014 a lá se encontrou com Pimentel. Naquela ocasião, teria apresentado ao petista o material sobre os repasses ilegais à chapa Dilma-Michel Temer. A questão é hoje objeto de uma ação de cassação por abuso de poder econômico e político no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

    “O que o Marcelo disse foi que tinha passado uma mensagem à presidente Dilma, porque o Pimentel era muito próximo dela: a comprovação, por meio de documentos, de que contribuições com recursos não contabilizados tinham sido feitas à campanha”, afirmou o colaborador, explicando que o chefe visava a “catalisar uma atitude” do governo. “Eram tempos já desesperadores”, acrescentou.

    Fonte: Veja

  • Sebastião Oliveira vai processar deputado de oposição que lhe tachou de ‘mandacaru’

    A relação azedou de vez entre os deputados de oposição que fazem um roteiro paralelo ao programa Pernambuco em ação do governador Paulo Câmara e o secretário de Transportes, Sebastião Oliveira.

     

    A confusão começou em Serra Talhada quando os deputados Álvaro Porto e Júlio Cavalcante atacaram Sebastião com adjetivos do tipo “pavão”, “mandacaru” e “secretariozinho”.

     

    As críticas mais fortes partiram de Porto, mas não ficaram sem troco. Sebastião rebateu taxando o deputado, que é delegado de polícia, de “psicopata”.

     

    Mas o tom subiu na última visita da oposição a região Agreste, quando Sebastião Oliveira declarou ao jornalista Magno Martins, que os deputados de oposição eram mentirosos, covardes e irresponsáveis.

     

    O caldo entornou com Álvaro Porto voltando a atacar o secretário na Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe. Agora bateu na trave. De acordo com Magno Martins, Sebastião vai ingressar com um processo na justiça contra Álvaro Porto. Terá contra-ataque. 

    (Via: Giovanni Sá - Farol de Notícias)

     

  • Marcelo Odebrecht diz que propina foi de até R$ 2 bilhões ao ano

    O empresário e herdeiro do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, disse que a empreiteira chegou a destinar até 2 bilhões de reais em um ano para o pagamento de propinas e caixa dois. A informação foi dada pelo executivo, durante um dos depoimentos de delação premiada na Operação Lava Jato.

    Marcelo diz que não tinha conhecimento específico das operações, mas sabia do volume que era movimentado pelo departamento responsável por fazer pagamentos ilícitos, conhecido como “Departamento de Operações Estruturadas”. “Eu sabia, a alta cúpula sabia, que a gente sempre movimentou, ao longo dos anos, [um valor que] variava de 0,5% a 2% do faturamento do Grupo [Odebrecht]. Nós estamos falando de um grupo que já chegou a faturar 100 bilhões de reais”, explicou.

    Fonte: Veja

  • Se provarem ’20 reais ilícitos’, eu paro com a política, diz Lula

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou as acusações de que teria pedido e recebido dinheiro da Odebrecht e afirmou que, se alguém provar que ele tenha recebido “20 reais ilícitos na vida”, ele abandona a política. O petista foi citado em mais de uma delação, inclusive do ex-presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht, como beneficiário de recursos ilegais da empreiteira, tanto para campanhas eleitorais do PT quanto para benefício pessoal ou de familiares.

    “A vida continua, eu vou continuar fazendo política. O dia que alguém provar um erro meu ou 20 reais ilícitos na minha vida, eu paro com a política”, disse. Ele declarou, ainda, que continua “desafiando qualquer empresário brasileiro, qualquer empresário, a dizer que um dia o Lula pediu 10 reais para ele”. “E se alguém pediu em meu nome, essa pessoa tem que ser presa, porque eu nunca autorizei ninguém a pedir dinheiro em meu nome’, disse.

    A entrevista foi dada à rádio Metrópole, de Salvador, ao radialista Mário Kertész, que também foi citado por delatores da Odebrecht na colaboração premiada firmada na Operação Lava Jato – ele teria recebido caixa dois em sua campanha a prefeito de Salvador pelo PMDB, quando foi derrotado por ACM Neto (DEM).

    “Faz mais de dois anos que eu não consigo passar um dia sem ver uma denúncia, uma insinuação, uma mentira, uma leviandade. E estou conseguindo suportar isso com uma tranquilidade. A cada depoimento, eu fico mais abismado com a qualidade das perguntas que eles [membros da força-tarefa da Lava Jato] fazem, é uma coisa até sem nexo, eles querem apenas encontrar um conteúdo para colocar dentro da tese deles”, afirmou Lula.

    Fonte: Veja

     

  • Danilo destaca parceria com Marconi, lista conquistas e diz que Flores está reencontrando o caminho

    O Deputado Federal, Danilo Cabral, através de vídeo postado nas redes sociais, parabenizou o Prefeito de Flores, Marconi Santana pelos seus 100 primeiros dias de governo, e avaliou que "Flores está reencontrando o caminho do desenvolvimento com Marconi".

    Danilo também disse ter muito orgulho de ser paceiro do Prefeito e que o povo do município só tem a ganhar com essa nova etapa de desenvolvimento que Marconi inicia na cidade, e enumerou várias ações dessa parceria, tanto no campo federal como estadual. Dentre elas o parlamentar frisou a conquista de uma máquina perfuratriz através de emenda parlamentar do mesmo, na Câmara Federal, e a recuperação da PE que dá acesso ao Distrito de Fátima.

    "Nossa parceira com o governo do estado vai melhorar muito a vida da população florense e com isso vamos entrar no rumo de uma numa nova caminhada", pontuou Cabral.

  • Presidente do PT de Serra Talhada defende Duque para Deputado, e candidato do partido para o governo


    O presidente municipal do partido dos trabalhadores (PT) de Serra Talhada, Júnior Moraes, revelou a posição do partido para as eleições de 2018. Júnior disse que "o PT defende sim uma candidatura de Luciano a Deputado, pois ele se tornou um patrimônio do partido".
     

    O Presidente também levantou a bandeira em luta da permanência de Duque na sigla, e disse acreditar que o melhor será uma candidatura própria do PT para a disputa do governo do estado. Moraes defendeu alguns nomes da legenda, mas deu destaque a vereadora da capital pernambucana Marília Arraes, que se tornou uma petista forte no Recife e é uma das maiores opositoras da atual gestão estadual.
     

    Júnior Moraes foi eleito presidente da sigla no município pela segunda vez, e promete uma gestão de mais diálogo com a população e uma participação mais ativa dos filiados veteranos e dos que começarem a chegar. 

  • Lula e Dilma sabiam do caixa dois, diz Marcelo Odebrecht

     

    O empreiteiro Marcelo Odebrecht, ex-presidente da maior construtora do país, afirmou em sua delação premiada que os ex-presidente Lula e Dilma tinham conhecimento de que as campanhas petistas foram irrigadas com caixa dois. “No que tange à questão de caixa dois, tanto Lula como Dilma tinham conhecimento do montante, não necessariamente do valor preciso. Tinham conhecimento da dimensão de todo o nosso apoio ao longo dos anos”, afirmou Odebrecht.

    O empresário ainda disse que em várias reuniões com a ex-presidente “se mencionou a questão (do caixa dois)”. “Ela sabia do apoio que eu dava ao amigo dela”, disse o empreiteiro, referindo-se ao marqueteiro João Santana que recebeu recursos da Odebrecht. O delator ainda enfatizou que, em maio de 2015, durante uma viagem ao México, mostrou a Dilma “a quantidade que poderia contaminar a campanha dela”.

    Fonte: Veja

  • "Não podemos paralisar o governo", diz Temer após lista de Fachin

    No dia seguinte à abertura dos inquéritos contra oito ministros, 24 senadores e 39 deputados pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Michel Temer afirmou na manhã desta quarta-feira que não se pode “paralisar o governo”.

    Em discurso durante a sanção de projetos que beneficiam as mulheres, Temer disse que é preciso haver separação dos Poderes e não se referiu diretamente ao STF e aos investigados após o levantamento do sigilo da delação da Odebrecht, que ficou conhecida como ‘delação do fim do mundo’.

  • Fachin autoriza abertura de inquérito contra Jarbas, Betinho e Bruno Araújo

     

    O ministro Edson Fachin (STF) autorizou a abertura de inquérito contra 9 ministros do presidente Michel Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, entre eles os pernambucanos Jarbas Vasconcelos (PMDB) e Betinho Gomes (PSDB).

     

    A autorização se fundamenta na delação premiada de 78 ex-executivos da Odebrecht. A lista foi encaminhada a Fachin pelo procurador geral da República, Rodrigo Janot.

     

    Além de deputados e senadores, também serão investigados um ministro do TCU, três governadores e 24 políticos sem prerrogativa de foro.

     

    Serão investigados os ministros Eliseu Padilha (casa Civil), Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência da República), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia), Hélder Barbalho (Integração Nacional), Aloysio Nunes Ferreira (Relações Exteriores), Blairo Maggi (Agricultura), Bruno Araújo (Cidades), Roberto Freire (Cultura) e Marcos Pereira (Indústria, Comércio Exterior e Serviços).

     

    A lista de Janot foi enviada a Fachin, novo relator dos processos da Lava Jato no STF, no último mês de março. Como metade da República teria recebido dinheiro de “caixa dois” da Odebrecht, a tendência é que a maioria se salve, pois é improvável que o Supremo vá cassar o mandato dessa infinidade de políticos do governo e da oposição.