• De fora do pleito por questões judicias, Carlos vai assistir Márcia e Victor disputar à Prefeitura

    As especulações sobre as eleições do ano que vem em Serra Talhada estão a todo vapor. No entanto, informações dão conta de que Oposição e Situação já estão decididas quanto a seus respectivos candidatos para a sucessão municipal.

    O grupo oposicionista conta com o poder de articulação política de Inocêncio Oliveira, que de acordo com informações obtidas pelo blog, segue firme no diálogo com os irmãos Ferreira e deve consolidar o neto, Victor Oliveira como o candidato natural do PL para o embate com os Governistas, e que deve reunir muitos apoios, diferente do que aconteceu quando Sebastião Oliveira estava à frente das negociações, onde provocou um grande racha entre os azulões.

    Já do lado situacionista, o prefeito ainda não admitiu, mas setores de dentro do próprio grupo já sabem e dão como inevitável o embate político Victor x Márcia em 2020.

    Apesar de ter muito apoio popular em Serra Talhada, o ex prefeito Carlos Evandro não deve disputar a corrida eleitoral por questões judiciais, como contas rejeitadas nos tribunais de conta do estado e em outros órgãos que cuidam da questão.

    Resta saber quem "Carlão" deverá apoiar no pleito do ano que vem.

  • Duque diz que voo da Azul para ST foi Fake News e que o grupo vai escolher seu sucessor

    O Jornalista Magno Martins encontrou o Prefeito de Serra Talhada na Capital Federal - Brasília, e o entrevistou com perguntas sobre política e questões administrativas.

    Magno quis saber a opinião de Duque sobre a tensão entre PT e PSB no estado de Pernambuco, a questão sobre Lula e o pleito eleitoral municipal do Recife com Marília Arraes no cenário. O Prefeito respondeu essas indagações dizendo que "Isso é mais um jogo de interesse, mas quando se sentar todo mundo se entende.  É importante que o partido tenha candidatura própria no Recife, ainda mais depois da sinalização do ex-presidente Lula, mesmo que o diretório municipal do partido seja contra", afirmou o gestor.

    Na questão administrativa o assunto foi o Aeroporto de Serra Talhada, que serviu para Luciano criticar seu maior opositor perguntando ao próprio entrevistador "Cadê o aeroporto de Serra Talhada? Tá parecendo que foi fake aquele voo, mas eu creio que até meados de Março eles vão anunciar alguma coisa. Essa obra, ainda do tempo da gestão do Deputado Sebastião Oliveira nunca saiu do papel, e toda a população descobriu que aquilo foi um anúncio político", declarou Duque, em tom de ironia.

    á sobre as eleições e festas de fim de ano na Capital do Xaxado, Luciano Duque sinalizou seu apoio à candidatura da atual Secretária de Saúde do Município ressaltando que para apoiar Márcia Conrado a decisão não sairá por pesquisas, mas deve vir pela decisão dos governistas, decisão do grupo. O gestor Serra-talhadense ainda confessou que na cidade, economicamente, "Tá tudo ruim, mas têm festa", e falou sobre seu antecessor, Carlos Evandro, lembrando que ele tem contas rejeitadas, mas gostaria de contar com a disputa dele no ano que vem à Prefeitura, e classificou Vitor Oliveira como carta fora do baralho dizendo que "eu sempre digo: treino é treino e jogo é jogo".

     

  • Na visão de Marília Arraes, João Campos é imatura

    A deputada federal Marília Arraes (PT) considerou “lamentável” a postura do prefeiturável e deputado federal, João Campos (PSB), sobre uma possível candidatura da petista à Prefeitura do Recife em 2020. Para Marília, João Campos “tentou intimidar um partido que fez um gesto pela unidade de um projeto que ele mesmo acredita”.

    Marília Arraes se refere às eleições estaduais de 2018 quando o PT não permitiu que ela enfrentasse o então candidato à reeleição Paulo Câmara (PSB) na corrida pelo Governo do Estado. Na ocasião, o PT justificou a retirada da candidatura de Marília em nome do projeto nacional do campo das forças de esquerda. “Nosso gesto foi o de retirar a nossa candidatura”, lembrou.

    João Campos teria, segundo Marília Arraes, tomado uma posição autoritária, o que não deveria corresponder com a postura atual dos socialistas. “Se é assim agora, imagine depois”, refletiu Marília.

    A petista acha que João Campos agiu de tal forma “por falta de maturidade”. “A maturidade faz a gente ver que não se faz política na base da ameaça, da intimidação, isso foi à tradução explícita da imaturidade. Sem dúvida”, desabafou.

  • Maioria da bancada de PE a favor da 2ª instância

    Um acordo firmado entre os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (dem-ap), e da Câmara, Rodrigo Maia (dem-rj), na última terça-feira, jogou para 2020 a tramitação no Congresso Nacional da proposta para retomar a prisão após condenação em segunda instância. Na reunião que fechou a articulação, com o apoio da maioria dos líderes partidários, também ficou acertado a criação de uma comissão especial para acompanhar na Câmara a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC). 


    Em meio à polêmica sobre o assunto, o Diario ouviu os deputados federais de Pernambuco, que anteciparam o posicionamento que pretendem adotar quando a PEC chegar no plenário da Casa. 

    Dos 25 parlamentares que compõem a bancada, 12 afirmaram que são a favor da PEC. Apenas quatro são contra a proposta. Os deputados Sebastião Oliveira (PL), Eduardo da Fonte (PP), Tadeu Alencar (PSB) e Fernando Monteiro (PP) responderam que ainda não têm uma opinião formada sobre o assunto e irão aguardar o andamento do debate para tomar uma decisão. Cinco deputados não enviaram resposta, apesar do contato feito pela reportagem. 

    Já Tadeu Alencar, que é líder do PSB na Câmara, deu uma visão mais ampla sobre a prisão em segunda instância. Os argumentos dele envolvem um debate interno da sigla que, segundo o socialista, está dividida em relação ao tema. “Na bancada do PSB há uma predominância dos que entendem importante uma alteração do sistema para assegurar efetividade ao aparelho de persecução criminal do estado, cuja cultura de impunidade, em razão de diversos fatores, é uma realidade”, disse o parlamentar em uma das razões apresentadas. 
     

  • Sinézio Rodrigues defende fortalecimento do combate a violência de gênero

    Na sessão desta última segunda (25), na câmara de vereadores de Serra Talhada, o Vereador Sinézio Rodrigues (PT) apresentou o Projeto de Lei 040/2019 que propõe a obrigatoriedade da fixação de cartazes, em local visível, com slogan destacado e legível, contendo mensagem relativa à violência contra a mulher com os seguintes dizeres: VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER - Ligue 180 gratuitamente.

    Para o vereador, apresentar o projeto neste 25 de novembro tem uma carga simbólica muito importante, pois, é a data instituída, pela ONU, como Dia internacional da Não Violência Contra Mulher

    “É um dia de luta, de mobilização, é necessário que a gente possa fortalecer campanhas para combater essa prática que para muitos é algo cultural. Por isso, como forma de reforçar as ações de combate a violência de gênero,  apresentamos este projeto de lei. O número 180 deve ser tornado popular igual aos demais números de urgência como o do Corpo de Bombeiros e da policia Militar, por exemplo. Por muitas vezes presenciamos casos de violência contra a mulher mas não sabemos a quem recorrer. Com a divulgação do 180 haverá maior possibilidade dos cidadãos realizarem a denuncia.” Declarou o parlamentar.

    A afixação dos cartazes será feita em todos os estabelecimentos comerciais, de ensino publico e privado e instituições publicas para que, segundo vereador, o número de emergência tenha maior aceitação e envolvimento de toda a população.

  • PSL avalia processo disciplinar que pode causar expulsão de Eduardo Bolsonaro

    O líder do PSL na Câmara, Eduardo Bolsonaro (SP), terá nesta terça-feira, 26, seu "dia D". O comissão de ética do PSL vai avaliar processos que podem acabar com sua expulsão por infidelidade partidária. Na Câmara, o Conselho de Ética pode dar os primeiros passos na análise de ações contra o parlamentar por causa de sua declaração sobre o AI-5.

    Eduardo é alvo de cinco procedimentos na comissão de ética do PSL depois de ter protagonizado uma disputa pelo comando do partido na Câmara. A punição mais grave é a expulsão. No entanto para o deputado Delegado Waldir (PSL-GO), que rivalizou com Eduardo a "guerra de listas" pela liderança da sigla, a expulsão do parlamentar não é a melhor saída.

    Retirar o parlamentar à força do partido poderia ter o efeito contrário da punição, avalia Waldir. Isso porque, atualmente, Eduardo e outros parlamentares da ala bolsonarista estudam como deixar o PSL sem perder seus mandatos. Pela regra da fidelidade partidária, um deputado não pode deixar o partido pelo qual foi eleito sob risco de perder o cargo. Há, porém, algumas exceções. Uma delas é justamente a expulsão da sigla, que serviria como "justa causa" para a troca partidária.

     

  • A persistência de Cristiano, o mau exemplo do deputado, contas de Marconi e a oposição de Tuparetama

    SÓ FICOU UM: Cristiano Menezes (PT),  auxiliar de Duque  na Pasta de Obras da Prefeitura de Serra Talhada, está firme na corrida interna para ter o nome escolhido para disputa eleitoral do ano que vem. Menezes tem mantido uma agenda intensa de pré - campanha, com direito a marketing pesado. O petista tem sido o único que não se intimida  com os movimentos de Márcia - diferente de Márcio Oliveira,  vice-prefeito, que jogou cedo a toalha. Os outros 13 que estavam na fila, também desanimaram - a exemplo de Faeca - o mais eufórico. Esse perdeu na metade do caminho. 
     
    EXEMPLO? : Sebastião Oliveira segue sustentando e alimentando um modelo de estratégia política arcaica, desagregadora e de picueta. Tinha um leque de opções/nomes para indicar para o CIRETRAN de Serra Talhada, mas resolveu levar para o Palácio do Campo das Princesas o nome de João Duque Filho, irmão do prefeito - Isso só para aumentar o conflito entre os irmãos. Vale o registro, que Victor Oliveira não foi consultado.
     
    E AGORA? : João Batista, o prefeito de Triunfo,  disse  em primeira mão ao blog que não disputaria à reeleição, mas pelo o que consta é que Batista resolveu fincar o pé. O primeiro sinal foi descartar o Avante, o segundo aceitar o convite do  próprio governador para se filiar ao PSB e o terceiro, aumentar o volume de inserções nas redes sociais. Vamos aguardar.
     
    AVISA LÁ: Em Afogados não há mais o que se discutir. Sandrinho é nome de Patriota para às eleições de 2020 e ponto final. Alguém precisa dizer/mostrar ao ex-prefeito, Antônio Valadares o tamanho da força política do Prefeito Patriota, de sua inserção não só estadual, como também nacional, e do seu projeto político futuro. Ou seja, Patriota precisa de Sandrinho na Prefeitura e não do ex-prefeito. 
     
    EXEMPLO: Marconi Santana reuniu seu primeiro escalão. É um movimento rotineiro do gestor - gosta de números - faz contas dia e noite. Marconi monitora, planeja e cobra  resultados.  O gestor  encerrou a reunião comemorando à aprovação das contas de Governo do Exercício Financeiro de 2017 - seu primeiro ano de gestão. 
     
    BOLA FORA: Os opositores de Sávio Torres (PTB), em Tuparetama segue de mãos vazias e com discursos jogados ao vento. Tentam desqualificar a gestão exitosa de Torres com discursos carregados  de desinformação. O último foi o do SAMU. Os parlamentares precisam, antes de tudo, se inteirar das coisas. Não tem nada definido ainda sobre  o SAMU. O processo está sendo discutido, está em análise. Não há quem entrou e ou quem saiu. 
     

    OPORTUNO: Vamos finalizar agradecendo e parabenizando a Associação Municipalista de Pernambuco - AMUPE, pela promoção de um debate importante sobre Comunicação Social, com a perspectiva e olhar voltado para nós que fazemos este árduo, cauteloso e importante trabalho de Assessoria de Comunicação nas Prefeituras.  

  • Duque leva Manoel Enfermeiros e mais dois secretários para conhecer empresa de rações

    Ao lado do presidente da Câmara Municipal, Manoel Enfermeiro, dos secretários Josembergues Melo e Cristiano Menezes; Luciano Duque esteve visitando o empresário João Daniel, da Cedan Rações.

    João é um empresário de destaque no setor industrial e, na opinião de gestor de Serra Talhada, tem “contribuído com o extraordinário momento econômico que vive a nossa terra”.
     
    Duque encerrou a visita, parabenizando o empresário  pelo empreendimento e por “fortalecer a nossa economia, gerando emprego e progresso para Serra Talhada”.
     

  • Turma de Marília Arraes não abre mão de disputa no Recife

    Foto: Arthur Marrocos/Divulgação

    O PT se mostra dividido entre que caminhos seguir, mesmo após a passagem de Lula pelo Recife, no domingo passado. ‘Foi um encontro muito positivo (com Lula). O jantar foi bem focado mesmo na retomada do protagonismo, passando pela reocupação dos espaços aqui em Pernambuco’, explica um aliado de Marília Arraes, em uma fala no começo da semana.

    No entanto, o encontro foi bem seleto, com cerca de 20 pessoas, boa parte deputados estaduais e dirigentes. Nesta quarta-feira, em contato com o blog, Cirilo Mota, presidente eleito do PT Recife, disse que, “para derrotar Bolsonaro”, o mais importante seria fortalecer a Unidade Popular e não uma candidatura própria, neste momento.

     

  • Luciano reassume Prefeitura de Serra Talhada e ressalta zelo de Manoel

    Depois de um tempo curto de descanso, bem menor do que lhe é assegurado por Lei, Luciano Duque (sem partido) reassumiu, a gestão municipal de Serra Talhada –PE, que na visão de Duque “foi tão bem cuidada pelo nosso amigo e presidente da Câmara Municipal, Manoel Enfermeiro, que assumiu o cargo em virtude da viagem oficial do vice-prefeito Marcio Oliveira a Espanha”.

    Duque ainda parabenizou o Presidente da Câmara de Vereadores, Manoel Enfermeiro, “pelo zelo que teve ao cuidar da nossa terra e por ter entrado na galeria daqueles que tiveram a honra de governar Serra Talhada”.

     

     

  • Danilo Cabral diz que Guedes quer criar imposto sobre grande pobreza para bancar MP 905

    Indicado para integrar a comissão mista que analisará a MP 905, que institui a "Carteira Verde e Amarela", o deputado Danilo Cabral (PSB-PE) afirma que o texto é uma nova reforma trabalhista, sendo "mais perversa". A proposta institui uma nova modalidade de contratação de trabalhadores, que tem como objetivo de gerar empregos para os jovens entre 18 e 29 anos de idade, alterando 60 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

    Segundo o parlamentar, apesar de a MP prometer empregar ,18 milhão de jovens, reduzir a taxa de desemprego e a informalidade, retira e flexibiliza direitos dos trabalhadores. "Todos nós somos favoráveis a medidas que promovam o emprego, especialmente diante do atual cenário. No entanto, não podemos sacrificar os trabalhadores a pretexto de dinamizar a economia", critica Danilo Cabral.

    O deputado cita que existem 12,5 milhões de desempregados no Brasil; 4,7 milhões de desalentados e 11,8 milhões de pessoas na informalidade, segundo o IBGE. Os dados são do terceiro semestre deste ano.

    Danilo Cabral considera que o texto contém pontos sensíveis. "A MP vai aprofundar a precarização dos trabalhadores. Não satisfeito por gerar o maior número de trabalhadores informais da história do país com a primeira reforma, Paulo Guedes (ministro da Economia) está propondo, agora, criar o imposto sobre a grande pobreza ao taxar desempregados que estão sobrevivendo através seguro desemprego. Quando é para taxar as grandes fortunas e os lucros dos bancos, o governo omisso", afirma. Ele é autor de projetos de lei que visam a taxação de grandes fortunas e de lucros de dividendos em tramitação na Câmara.

    O deputado se refere à cobrança de contribuição previdenciária de 7,5% dos que recebem o seguro-desemprego. A ideia do governo é utilizar esses recursos para bancar a desoneração temporária da folha de pagamento. Esperam arrecadar R$ 12 bilhões com esse dispositivo.

    Além da taxação previdenciária do seguro desemprego, Danilo Cabral destaca a intensificação da jornada de trabalho, a fragilização da segurança de trabalho, a redução do papel da negociação coletiva e da ação sindical. "Sem falar que o texto afrouxa as autuações na primeira inspeção de fiscais do trabalho", diz. Antes, o promotor tinha liberdade de definir as penas e, agora, devem ser aplicadas de acordo com a MP.

    O texto ainda permite a redistribuição de servidores da carreira do Seguro Social para outros órgãos ao revogar o dispositivo que vedava a redistribuição. "Na prática, vai prejudicar o atendimento da população mais vulnerável, como os beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada)", pondera Danilo Cabral. De acordo com o deputado, os profissionais ligados à assistência social estão preocupados que essa medida, aliada à terceirização dos benefícios não programados para empresas e entidades privadas e à iminente alteração da estrutura do INSS, acarrete o fim da carreira do Seguro Social.

    "Foi realizada uma Reforma Trabalhista em 2017, que prometia reduzir o desemprego. Não foi isso que aconteceu. Estão mexendo novamente com os direitos dos trabalhadores, sem diálogo, abrindo mão de recursos em plena crise fiscal e com a possibilidade de precarizar ainda mais o mercado de trabalho", avalia.

    Nesta terça-feira (19), o deputado recebeu do procurador-Geral do Trabalho, Alberto Balazeiro, e de representantes do Ministério Público do Trabalho para tratar sobre a MP, em Brasília (DF). No encontro, foram tratadas questões como as mudanças das atribuições do Ministério Público do Trabalho.

    A MP vai ser examinada inicialmente por comissão mista de 13 deputados e 13 senadores, antes de ser votada pelos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, respectivamente. O deputado Danilo Cabral foi indicado pelo PSB para fazer parte do colegiado, que ainda será instalado. A MP está em vigência e deve ser deliberada até 20 de fevereiro do próximo ano para não perder a validade.

  • De olho no pleito eleitoral de 2020, Márcia Conrado prestigia Lula em festival de música no Recife

    m-rcia-1

    Ex-presidente Lula e Márcia Conrado, no Recife-PE Imagem: Whatsapp/reprodução

    Márcia Conrado que é auxiliar do prefeito Luciano Duque (sem partido) na pasta da saúde em Serra Talhada - bem ao seu estilo - saiu na frente e foi até o encontro do presidente Lula na Capital Pernambucana, neste domingo (17). 

    Nome governista cotado para disputar o pleito municipal, nas eleições do ano quem vem, Márcia Conrado se juntou aos diversos artistas, militantes/partidários do Partido dos Trabalhadores – PT,  lideranças políticas e políticos como a deputada estadual Tereza Leitão (PT), a deputada federal, Marília Arraes (PT) e até mesmo o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT).

    Lula esteve no Recife, para participar de um festival musical no Pátio do Carmo, no centro da Capital Pernambucana, em sua homenagem.

     

  • Lula: A quadrilha nesse país foi montada por Moro, Dallagnol e Bolsonaro

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) discursou para uma multidão no Pátio da Nossa Senhora do Carmo, no Centro do Recife, na noite deste domingo(17), durante a programação musical do festival Lula Livre. Além de criticar a agenda econômica do governo de Jair Bolsonaro, o petista voltou a fazer investidas contra Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e a Operação Lava Jato.

    “Eles tentaram um acordo para que eu saísse da cadeia porque eu passei a ser um problemas para eles. Eu não quis ficar preso em casa porque minha canela não é de pombo para ter tornozeleira”, disse. “Eu poderia ter ido para outro país, mas escolhi a Polícia Federal porque eu tinha que desmascarar Moro, Dallagnol e Bolsonaro. [...] A quadrilha nesse país foi montada por Moro, Dallagnol e todos aqueles que me julgaram”.

     

  • Paulo Câmara transmite comando do Estado para Luciana Santos

    Em decorrência de uma viagem, em missão comercial, para países europeus, o governador Paulo Câmara transmitiu o cargo, nesta sexta-feira (15.11), no Palácio do Campo das Princesas, à vice-governadora Luciana Santos, que ficará no posto até o próximo dia 25 de novembro. Durante esse período, o chefe do Executivo estadual integrará a comitiva do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste) em visitas à França, Itália e Alemanha, para apresentar um mapa de oportunidades de negócios no Nordeste. O objetivo é ampliar os investimentos e gerar emprego e renda em áreas como Infraestrutura, Energias Renováveis e Turismo.


    "Na próxima semana, estarei no exterior junto com os governadores do Nordeste para apresentar a região, discutir a atração de investimentos e formas de intercâmbio que possam aprofundar as relações e, ao mesmo tempo, mostrar as potencialidades do Nordeste brasileiro. É uma oportunidade muito importante, diante do interesse que esses países têm demonstrado na nossa região. Por isso, vamos mostrar que quem investe no Nordeste não se arrepende e que temos gestões que podem fazer a diferença", afirmou o governador.


    Paulo Câmara enfatizou ainda o papel importante que a vice-governadora tem cumprido na gestão. "Luciana terá uma semana de muito trabalho, mas, com certeza, com toda equipe e secretariado, ela vai estar muito bem encaminhada e com a sensibilidade social cada vez maior para ajudar o povo mais sofrido", destacou.


    Luciana Santos reforçou a importância da agenda que o governador Paulo Câmara terá no exterior, no sentido de atrair investimentos para Pernambuco, e frisou que dará continuidade às agendas do Estado. "Durante essa semana, vamos associar as atividades de rotina do governo com ações voltadas para as mulheres e para a consciência negra", pontuou.


  • Márcio Oliveira assume governo municipal nas férias de Luciano Duque

    O vice-prefeito Márcio Oliveira assumiu a Prefeitura de Serra Talhada na manhã desta segunda-feira (11) durante ato de transmissão de cargo realizado no Gabinete Municipal. Márcio Oliveira assume o governo até a próxima quarta-feira (14), em virtude das férias do Prefeito Luciano Duque, concedidas conforme a Portaria PMST /SAND Nº287, pelo período de 11 a 20 de novembro de 2019.

    Na próxima quarta-feira (14) o comando do executivo municipal será transferido para o Presidente da Câmara de Vereadores, Manoel Casciano, em virtude de agenda internacional de Márcio Oliveira, que integrará a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) no evento Smart City Expo World Congress, que acontecerá de 17 a 21 de Novembro, em Barcelona, na Espanha.

    “Será por um tempo breve, mas estamos sempre à disposição do povo de Serra Talhada. Vou precisar viajar para participar de um evento com a Frente Nacional de Prefeitos, de onde tenho certeza que vamos trazer conhecimentos e novas ideias. Na quarta-feira vamos passar o cargo para o vereador Manoel Enfermeiro, que é uma pessoa merecedora e vai cuidar bem da cidade enquanto Luciano e eu retornamos”, comentou Márcio Oliveira.

  • Bolsonaro confirma saída do PSL e anuncia novo partido

    O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta terça-feira, 12, que deixará o PSL para trabalhar pela criação de um novo partido, cujo nome será Aliança pelo Brasil. A informação foi antecipada por VEJA nesta segunda-feira. Bolsonaro se reuniu com parlamentares aliados no Palácio do Planalto para informá-los de sua decisão.

    Reportagem de VEJA desta semana mostra como presidente e seus aliados pretendem viabilizar uma legenda para concorrer às eleições municipais de 2020. Para garantir a criação em tempo recorde, o grupo pretende lançar mão, inclusive, de um aplicativo para amealhar apoios. Para empreitada ir adiante, são necessários cerca de 490.000 apoios em pelo menos nove estados.


    Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o deputado federal Bibo Nunes (PSL-RS) afirma que esta terça-feira é “um dia histórico”. Nunes também pede que os apoiadores se desfiliem de suas legendas atuais. “Quem for filiado [ao Aliança Pelo Brasil] será um aliado. Você que estará lutando para formar um novo partido, se desfilie do seu partido para poder apoiar nas listas. Isso é muito importante”, diz o aliado de Bolsonaro.

    A assessoria jurídica do presidente da República também trabalha para evitar que os parlamentares leais ao presidente deixem o partido sob risco de perderem seus mandatos, além de garantir a transferência dos recursos partidários e tempo de TV que o PSL passou a ter direito depois que se tornou a segunda maior banca da Câmara dos Deputados.

  • Fim do DPVAT atinge empresa de Bivar, desafeto de Bolsonaro


    Fabrício Lobel/Folha de São Paulo

    O fim do seguro obrigatório a veículos no país, o DPVAT, anunciado nesta terça-feira (11) pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), atinge diretamente os negócios de seu desafeto, o deputado Luciano Bivar (PE).

    Bivar é presidente nacional do PSL e entrou numa escalada de hostilidade com o Presidente da República pelo controle do partido.

    Bivar é acionista e foi diretor presidente da Companhia Excelsior de Seguros, com sede em Recife e que tem 1% das ações da Seguradora Líder, que gerencia os recursos e administra o DPVAT. Na Junta Comercial de Pernambuco, a Excelsior é registrada com um capital de R$ 35 milhões.

    A seguradora, portanto, será diretamente atingida com o fim do seguro obrigatório anunciado na terça por uma Medida Provisória.

    Em dez anos, o seguro DPVAT foi responsável pela indenização de mais de 4,5 milhões de acidentados no trânsito brasileiro (485 mil desses casos foram fatais). Além de indenizações por mortes, o seguro também cobre gastos hospitalares e sequelas permanentes.

    Bolsonaro justificou o fim do seguro mediante os altos índices de fraudes e os elevados custos operacionais do seguro.

    A gerenciadora do DPVAT, a Seguradora Líder, é formada por um consórcio de 73 empresas do ramo, entre elas a Mapfre, a Porto Seguro e as seguradoras dos bancos Caixa e Bradesco, por exemplo.

    O fim do DPVAT foi feito por Medida Provisória, ou seja, tem força de lei a partir de sua edição. A nova regra deve ser votada pelo Congresso, que pode modificá-la, em até 120 dias. Caso contrário, caduca; nesse caso, isso significa que voltaria a existir o DPVAT.

    Recentemente Bolsonaro tornou pública uma disputa interna de poder com Bivar pelo controle do partido.

    A divergência dentro do PSL ficou evidente após Bolsonaro comentar com um de seus apoiadores que o presidente do partido estava “queimado pra caramba”.

    Na semana seguinte, a Polícia Federal deflagrou operação que teve o deputado federal como alvo e que buscava provas em um inquérito sobre candidaturas de laranjas no partido, em caso revelado pela Folha em fevereiro.

  • Luciano Duque: O jogo ainda não começou e não lançamos candidato!

    O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, comentou ainda na manhã desta terça-feira (12), os números de uma pesquisa pré-eleitoral, aferidos pelo o Instituto Opine em parceria com o Farol de Notícias.

    Segundo o instituto, no primeiro cenário, o ex-prefeito Carlos Evandro pontuou com 60% das intenções de voto; Márcia Conrado, possível candidata governista aparece com 23,6%, os indecisos são 8,2% e nenhum dos dois 8,2%.

    Diante da revelação dos números em tela, o líder político governista ao falar em primeira mão com Júnior Campos, fez uma avaliação do cenário político  atual, disse quando dará o start na pré-campanha e lembrou-se dos resultados obtidos por seu grupo político no último processo eleitoral.

    “Normal esse resultado, não lançamos candidato e ainda é muito cedo. Em dezembro o candidato será lançado e aí vamos discutir com o povo o melhor caminho”, explicou Luciano completando: “Marília tinha 3% e Armando 7% e no final das contas tivemos 19 mil votos para federal, contra 13 mil do nosso principal adversário e Armando ganhou com 6 mil votos de frente. O jogo ainda não começou”; cravou Duque.

    A amostragem foi realizada entre os dias 25, 26,27 e 28 de outubro e entrevistou 500 pessoas.

  • Em discurso em Curitiba, Lula agradece à militância e ataca Bolsonaro

    Logo após ter saído da carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seguiu para um palanque e discursou por cerca de 18 minutos para a militância. Seguidores, em sua maioria, com camisetas vermelhas e bandeiras do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) integravam a plateia.

    “Queridos companheiros, vocês não têm dimensão do significado de eu estar aqui junto com vocês. A vida inteira eu estive conversando com o povo brasileiro, eu não pensei que no dia de hoje eu poderia estar aqui conversando com homens e mulheres que durante 580 dias gritaram ‘bom dia, Lula, boa tarde, Lula, boa noite, Lula’. Não importa se estivesse chovendo, não importa se estivesse 40 graus, não importa que tivesse zero grau. Vocês eram o alimento da democracia que e eu precisava para resistir ao que o lado podre que o estado brasileiro fez comigo e com a sociedade brasileira”, disse. 

  • Danilo Cabral será homenageado com título de Cidadão Florense; nesta sexta-feira (08)

    O Deputado Federal, Danilo Cabral do PSB será homenageado com o Título de Cidadão florense, nesta sexta-feira (08). A autoria do dispositivo é a vereadora Jeane Lucas do mesmo partido e que apresentado e aprovado pelo parlamento florense, em 06 de Julho de 2017.

    Ao justificar a honraria ao deputado, a vereadora governista defendeu a “brilhante carreira do deputado e excelente atuação na sua vida pública e profissional, com atuações diretas em nosso município, sendo responsável concomitantemente com o Prefeito Marconi Santana por angarias construções de obras de suma importância para o município”.

    O ato solene em homenagem Cabral, está previsto para ocorrer às 17h no Plenário da Câmara Municipal de Vereadores.