• Políticos pernambucanos ficam no topo da lista dos gastos

    Um levantamento realizado com dados dos portais de transparência da Câmara e do Senado Federal mostrou quais os parlamentares pernambucanos que mais utilizaram a verba pública durante o ano de 2019. O ranking apontou o senador Humberto Costa (PT) como o parlamentar entre todos do Congresso, independentemente da naturalidade, com o maior gasto do Congresso. O líder do PT no Senado utilizou R$ 607.404,64 no ano passado. Entre os senadores pernambucanos, Humberto é o que possui o maior gabinete, com 15 pessoas. O parlamentar também conta com um escritório de apoio com mais 17 funcionários. Apesar disso, o que mais pesou na conta do político foi a locomoção, hospedagem, alimentação e combustíveis, somando o valor de R$ 151.263,65.


     
    O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) ocupou o 10º lugar no ranking nacional, usando R$ 487.795,91 em cotas e "gastos não inclusos". Nessa lista ficam as despesas com  a emissão de passagens ou Correios, por exemplo. A maior despesa do senador foi com passagens aéreas, aquáticas e terrestres nacionais. Bezerra Coelho gastou R$ 153.472,85 nessa área.

    O detalhamento dos recursos utilizados pelos senadores apontou uma curiosidade: R$ 233.677,90 foram gastos apenas com os Correios. Humberto Costa (PT) destinou R$ 134.874,12 a essa área, enquanto as despesas de Fernando Bezerra Coelho (MDB) e Jarbas Vasconcelos (MDB) foram de R$ 86.835,37 e R.968,41, respectivamente.

    Na Câmara, o deputado pernambucano que fez o maior uso da verba pública foi Augusto Coutinho (Solidariedade). Os R$ 464.874,31 gastos pelo político também o colocaram na 5ª posição nacional. A área em que o deputado utilizou mais dinheiro foi a manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar, com uma despesa de R$ 152.128,86.

    Os deputados federais têm direito à Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP) para bancar as despesas do mandato, como passagens aéreas e contas telefônicas. Em Pernambuco, cada um pode usar até R$ 41.676,80 mensalmente e, caso o montante não seja gasto naquele mês, fica acumulado para que seja utilizado ao longo do ano.

    Em conjunto, a maior despesa dos deputados pernambucanos foi com a emissão de bilhetes aéreos, o gasto de R$ 2,3 milhões, chegando a 27,24% do total. A segunda maior conta foi com a locação ou fretamento de veículos: uma despesa de R$ 1,7 milhão. Os gastos com divulgação e manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar, consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos, combustíveis e lubrificantes também entram para a soma do que foi utilizado com as cotas parlamentares. Ao todo, os deputados pernambucanos gastaram R$ 8,7 milhões nessa área.

    Já as despesas com verba de gabinete dos deputados pernambucanos atingiram o valor de R$ 26,2 milhões. Cada um tem direito a contratar até 25 secretários parlamentares, que recebem salários entre R$ 1.025,12 e R$ 15.698,32. Os gabinetes podem usar até R$ 111.675,59 mensalmente. Os encargos trabalhistas não entram na conta. O pernambucano Daniel Coelho (Cidadania) foi o deputado federal que fez o maior uso da verba de gabinete, gastando R$ 1,3 milhão, com pagamentos dos seus 43 funcionários.

  • Presidente do PT descarta pré-candidatura de Marília e reforça aliança com PSB

    Luciano Duque prefeito de Serra Talhada e Marília Arraes em Serra Talhada Imagem: Sabrina Oliveira

    O presidente do PT do Recife, Cirilo Mota, convocou uma reunião para esta quarta-feira (15) para apresentar “importante resolução” da executiva na capital pernambucana. Aliado do senador Humberto Costa, Mota falou sobre um indicativo para que os petistas se mantenham na Frente Popular, com o PSB. Se essa fosse a decisão final para as próximas eleições, o partido não lançaria a candidatura da deputada federal Marília Arraes e apoiaria o primo dela João Campos, filho do ex-governador Eduardo Campos.

    “O caminho que a executiva do PT encaminha para o debate é um caminho de aliança”, afirmou ao Jornal do Commercio. A entrevista foi um dia após o Blog de Jamildo publicar a articulação do PSL de Luciano Bivar, após o rompimento com Jair Bolsonaro, para voltar a se aliar ao PSB.

    O presidente do partido na capital pernambucana apresentou ao JC o texto de uma resolução aprovada no último dia 8, em que a executiva municipal defende o apoio aos socialistas e a prioridade à formação de uma chapa de vereadores. De acordo com Mota, o objetivo é de dobrar o número atual, que é de dois parlamentares, com João da Costa e Jairo Britto.

    Além deles, que são pré-candidatos à reeleição, a chapa deve incluir o ex-vereador Osmar Ricardo, e a presidente do Sindicato dos Bancários, Suzaneide Rodrigues, por exemplo. A resolução defende também a participação do PT nos governos Geraldo Julio, através da pasta de Saneamento, e Paulo Câmara, com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário, a Empresa Pernambucana de Transportes Intermunicipais (EPTI) e a Secretaria Executiva de Desenvolvimento Social. Para Cirilo Mota, a aliança é ainda uma estratégia contra os possíveis candidatos de direita.

    “Nossa principal tática é derrotar o governo Bolsonaro”, explicou. Humberto Costa usa o mesmo argumento. Mota alegou também que a aliança com o PSB foi vitoriosa em 2018. “Foi nesse campo de aliança que os governos do PT se elegeram, com João Paulo [hoje no PCdoB, após romper com os petistas por causa da divisão do partido entre lançar ou não Marília Arraes para o Governo de Pernambuco] e João da Costa”, disse o presidente do partido no Recife.

    Na última eleição, quando a candidatura de Marília Arraes foi retirada para viabilizar o retorno do PT à aliança, Humberto Costa foi reeleito para o Senado e a parlamentar e Carlos Veras para a Câmara dos Deputados. Na mesma chapa que Humberto Costa, foi eleito Jarbas Vasconcelos (MDB), opositor dos petistas. PT e PSB romperam no Recife em 2012, quando Eduardo Campos aproveitou um racha no partido, que não lançou João da Costa à reeleição, para viabilizar a candidatura de Geraldo Julio.

    Em 2014, o PT entrou na chapa de Armando Monteiro Neto (PTB), formando a coligação também na chapa proporcional, e não conseguiu eleger nenhum deputado federal. Já em 2018, também dividido após a desistência da postulação de Marília Arraes, os petistas formaram uma chapa “puro sangue”.

    Para 2020, a deputada tenta viabilizar a candidatura à Prefeitura do Recife. Quando visitou o Recife após ter sido solto, em novembro, o ex-presidente Lula (PT), visitou Marília Arraes. Porém, se encontrou também com João Campos.

  • Vereadores de Serra Talhada aprovam novas regras para o regime geral

    Whats-App-Image-2020-01-14-at-15-47-03

    Nesta segunda-feira (13/01), a Câmara Municipal deu início às atividades de 2020 com a primeira sessão extraordinária para a segunda votação do Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município, Nº 012/2019, do Executivo, que estabelece novas regras para o regime próprio da previdência social municipal, de acordo com a emenda Nº 103/2019.

    Com casa cheia, o Plenário Manoel Andrelino Nogueira recebeu mais de 500 pessoas, entre funcionários, comissionados e sociedade em geral, para acompanhar a votação e os esclarecimentos feitos pelo secretário municipal de Planejamento e Gestão, Josembergues Melo.

    "O município está cumprindo com uma determinação federal. Não cabe ao prefeito ou aos vereadores descumprir o que está na legislação federal. Se o município não fizer a alteração, será negativado, deixando de receber recursos federais", explicou o secretário.

    Os vereadores Francisco Pinheiro e Sinézio Rodrigues fizeram o uso da tribuna para apontar o que não estavam de acordo. De acordo com Pinheiro, o contribuinte já paga 12,5%. "Esses 1,5% de aumento, somado aos 12,5% que o servidor já paga, dá os 14% estabelecido pela lei federal. Projetos polêmicos devem ser discutidos na mesa, com servidores e vereadores, e não chegarem no dia da votação e quererem aprovação. Sou contra porque não fomos nós que fizemos essa conta", ressaltou o vereador, seguido por Sinézio que apontou a lei como incoerente.

    "Os aguerridos que eram contra a reforma geral e são a favor da reforma municipal mostram a incoerência, e não existe diferença entre as duas. A determinação do governo federal é obrigatória, mas o debate está no aumento do tempo de serviço, na mudança de pensão por morte. Isso é nocivo e não está sendo discutido", disse Sinézio Rodrigues.

    Em apoio a votação, o vereador José Raimundo reforçou que não é a lei não foi criada pelo município. "É preciso respeitar as ideias contrárias e entender que, não é nada criado pela prefeitura, é um cumprimento legal, que diz respeito a questão da alíquota. Na verdade, a preocupação é com os pensionistas e aposentados, que até então não pagavam a previdência e agora terão que pagar. Não há porque negar. O cumprimento é legal e não podemos ir contra".

    Apesar de divididas as opiniões sobre a aprovação da emenda, o projeto foi aprovado por 12 votos contra 3.

    Whats-App-Image-2020-01-14-at-15-48-31-1

     

  • MPPB denuncia Ricardo Coutinho e mais 34 pessoas

    O Ministério Público da Paraíba (MPPB) protocolou no Tribunal de Justiça, nesta segunda-feira (13), a sexta denúncia feita com base nas investigações da Operação Calvário.

    No documento, 35 agentes públicos, empresários e operadores financeiros são acusados de formarem uma organização que cometeu crimes como corrupção e lavagem de dinheiro, através das atividades de organizações sociais (OSs) na saúde e educação do estado.

    A denúncia foi elaborada pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e a Comissão de Combate aos Crimes de Responsabilidade e a Improbidade Administrativa (Ccrimp).
     

  • Duque prestigia posse de Cleonice e agradece ao PT pelo apoio

    FB-IMG-1578917983438

    O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (sem partido) participou na última sexta-feira (10), da posse de Cleonice Maria, como presidenta do Partido dos Trabalhadores de Serra Talhada. Duque foi ao evento petista com Márcia Conrado, Manoel Enfermeiro – Presidente da Câmara de Vereadores e sua esposa, Karina Rodrigues.  

     

    “O PT tem uma grande contribuição nos avanços que alcançamos em nossa terra e sou grato por todo o apoio que o partido tem nos dado. Desejo sucesso a nova presidenta do PT serra-talhadense, Cleonice, e aos novos membros do Diretório Municipal do partido. Vamos, juntos, continuar trilhando o caminho do desenvolvimento e dos avanços sociais, sempre trabalhando para melhorar a vida do nosso povo”, disse o prefeito.

  • Ana Arraes: Quem fala o que quer, ouve o que não quer

    A ex-deputada federal pelo PSB e ministra do Tribunal de Contas da União Ana Arraes, filha do ex-governador Miguel Arraes e mãe do ex-governador Eduardo Campos, expôs com todas as letras a cisma que existe hoje na relação entre as famílias Campos-Arraes e entre os socialistas após a morte do filho, Eduardo Campos.

    A ministra disse que, após deixar o TCU, em dois anos e meio, não planeja se aposentar da vida pública, citando a disputa do governo do Estado. O blog lembrou que existe uma fila e que o prefeito do Recife, Geraldo Julio, é um dos candidatos já declarados. “Ai é um problema dele (se vai gostar ou não).

    Eu quero saber é quem é mais antigo. Quem tem mais o que mostrar, em termos parlamentares”, afirmou, em entrevista exclusiva ao blog de Jamildo nesta terça-feira. Quando falava do desejo de cuidar da população, Ana Arraes lembrou um episódio do passado, quando foi abordada por crianças no interior que lhe pediam merenda escolar. Ela disse que foi a Eduardo Campos governador e pediu que instituísse merenda para todos aqueles que estudassem na rede pública e que assim foi feito, ao custo de R$ 5 milhões inicialmente.

    Neste meio tempo, aproveitou um projeto de lei do ex-presidente Lula, que por esforço seu nas comissões parlamentares chegou a ir ao plenário para virar lei.

    Sem falar com João Campos Na entrevista, Ana Arraes revela que está sem falar com o neto João Campos e que esperava desculpa por parte dele, depois de ter criticado o tio, Antônio Campos, atual presidente da Fundaj, de forma indireta, em plena Câmara dos Deputados, no dia em que os deputados federais estavam arguido o ministro da Educação. Ana Arraes disse que passou o Natal sem falar com o neto. “Falta de respeito na minha família não existe, eu não admito”.

    Na briga com João Campos e Antônio, Ana Arraes disse que não repreendeu o filho pela reação, pouco diplomática. “Quem fala o que quer, ouve o que não quer”, afirmou.

  • Em Tuparetama opositores de Sávio Torres vão para o PSB

    Em Tuparetama, os opositores de Sávio Torres (PTB) trabalham para agendar uma data, para um ato de filiação, com direção ao Partido Socialista Brasileiro – PSB.

    Deve trocar de partido, o presidente da Câmera de Vereadores, Danilo Augusto (PDT) e Deva Pessoa (PSD); este pré-candidato a prefeito, que pode ser impedido de registrar candidatura por questões jurídicas.

    No bloco governista, o prefeito Sávio Torres, se movimenta para trocar de vice é que se especula. Tanta deverá ser substituído, pelo o vereador Diógenes. 

  • "O PSB vai ter seu protagonismo", diz Paulo Câmara sobre 2020

    Um dos principais condutores da eleição deste ano, o governador Paulo Câmara (PSB) destaca a posição de protagonismo do seu partido na disputa eleitoral de 2020, mas enfatiza também a necessidade de dialogar com os demais partidos da Frente Popular.

    Em entrevista à Rádio CBN, nesta segunda (6), o gestor ressalta ainda o papel do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), como o condutor da sua sucessão eleitoral e dá nota máxima para a administração do gestor da Capital.

    O socialista também elogia o deputado federal João Campos (PSB), cotado como o provável nome escolhido pela Frente Popular para disputar o comando do Palácio do Capibaribe, mas pondera que o debate eleitoral será feito somente “no momento certo”.

    Eleição

    O PSB com certeza vai ter protagonismo na sucessão do prefeito Geraldo Julio, que tem feito um trabalho muito importante para melhoria do Recife. Geraldo também enfrentou momento de muita dificuldade econômica.

    Eu dou a ele a nota máxima possível, diante de todos os desafios que Geraldo enfrentou e está enfrentando. Então, ele vai ser o condutor desse processo, o PSB vai ter o seu protagonismo, agora a gente tem uma frente política que vai precisar discutir muito e é importante que a gente tenha condições também, como tivemos nas eleições passadas, de fazer uma grande frente e discutir bem, não apenas a questão municipal, mas também a questão de melhoria do futuro, planejamento para melhoria das cidades, o Governo do Estado quer ajudar todos os municípios pernambucanos e vamos discutir eleição no momento certo, mas vamos, com certeza, ter um papel importante para discutir o futuro do Recife e das outras cidades pernambucanas.

  • Têm eleição em Triunfo, chapa fechada em ST e os números ruins que o prefeito de Princesa comemorou

    TEM ELEIÇÃO EM TRIUNFO: Em Triunfo-PE, ao antecipar declaração de que não disputará à reeleição, João Batista que também rejeitou ingressar no AVANTE de Sebastião Oliveira, acabou alimentando a pré - candidatura de Dr. Eduardo Melo (MDB). O médico que foi derrotado por Mário da Caixa, em Betânia, ecoa em alto e bom som, que não "abre nem pra o trem" e ainda completa: "Toda Candidatura tem que iniciar  pelo o desejo do povo e não pelo o desejo de grupo políticos".

    CHAPA FECHADA: Quem ainda estiver sonhando em compor a chapa majoritária, como vice de Márcia Conrado, já pode sair do estado de devaneio. Márcio Oliveira logo será oficializado, como tal. O próprio rasgou a carta, o discurso e alargou os passos em direção a Conrado. Nunca se viu tanta união!

    DUQUE CANSOU: Sinézio Rodrigues passou dos limites e Duque cansou de ver o aliado sustentar no Plenário da Casa de Leis de Serra Talhada, os discursos mais duros contra seu governo. Duque não falou nada, mas o blog afirma que o troco virá. A movimentação do bloco governista já tem sido pelo o fim da continuidade de Sinézio no parlamento Serratalhadense. O escalado para entrar na briga foi Rosimério de Cuca. Diz o povo, que remédio bom pra "doido" é outro na porta.

    BLOCO DO CARLÃO: Por falar em Serra Talhada, Duque já está de olho no bloco dos ingratos, que ensaiam colocar a agremiação na rua com enredo "Sandálias da Humildade". Já tem uma turma grande de figurino pronto e tudo mais. Vamos aguardar o Carnaval...

    NÚMEROS RUINS: Ricardo Pereira (PSB), o Prefeito de Princesa, tem feito o dever de casa quando o assunto é finanças municipais, mas quando vai analisar números de pesquisa, o prefeito erra feio. Comemorou uma sondagem eleitoral onde seus adversários, Alan Moura e Sidney Filho aparecem com 27, 52% e 18, 02% - respectivamente - no cenário estimulado. Como se não bastasse a comemoração, Pereira ainda publicou os gráficos – pasmem - em suas redes sociais, com as fotos de Alan e Sidney. Sim...o percentual de indecisos chega a 33%. Vai entender essa comemoração de Ricardo!

    RECADO DADO: O Senador Humberto Costa (PT), disse em alto e bom som que vai dá o troco a Deputada Federal Marília Arraes (PT), por não ter lhe apoiado no pleito passado. Humberto defendeu manutenção da aliança com PSB no pleito eleitoral municipal do Recife descartando de imediato, o nome da neta de Arraes. "No ponto de vista pessoal, não teria razão para dá apoio. Em 2018 não me apoiou".

    AGENDA POSITIVA: Marconi Santana, Prefeito de Flores iniciou 2020 vistoriando obras, assinando convênios, anunciando novos investimentos e recebendo novos simpatizantes . Em ano de eleição, Santana que não antecipa e não atropela o calendário eleitoral, tem recebido de forma espontânea novos aliados. A última sinalização veio do artista Andrezinho, da dupla Amigos Sertanejos.

    BOA NOTÍCIA: E por fim, o empresário Gustavo Melo, com atuação Política em Calumbi, entrou 2020 comemorando a garantia do recurso, já creditado em conta (da prefeitura), para a compra de uma ambulância para sua terra natal. A promessa cumprida foi do Deputado Federal, Danilo Cabral

     

  • Presidente da CMST faz balanço de 2019 e revela devolução de R$ 180 mil ao executivo

     
    Em nota à imprensa, o vereador Manoel Enfermeiro do Partido dos Trabalhadores - PT, comemorou em balanço as atividades do exercício financeiro de 2019 e afirma à devolução de R$ 180 mil, aos cofres do Poder Executivo. 
     
    “O ano de 2019 começou com a posse da atual Mesa Diretora do Legislativo Municipal, composta pelo presidente Manoel Enfermeiro, vice-presidente Ronaldo Dja, primeiro secretário Jose Raimundo e segundo secretário Sinézio Rodrigues, que de imediato cumpriu a missão de dar posse aos servidores aprovados no concurso realizado em 2018”.
     
    No Auditório Manoel Andrelino Nogueira, foram realizadas quarenta e três sessões ordinárias, nove sessões extraordinárias, seis sessões solenes ou especiais e uma audiência pública. Durante o ano, foram deliberados  duas emendas a Lei Orgânica; quarenta e quatro projetos de Leis do Executivo; quarenta e cinco projetos de Leis do Legislativo; três projetos de resolução; seis decretos Legislativos; trinta e seis requerimentos; cento e trinta e cinco indicações e quarenta e uma moções.
     
    “Encontramos dificuldades, críticas e aplausos. As dificuldades nos encorajaram a superá-las, com o auxílio dos servidores e colaboradores que sempre estiveram dispostos a contribuir para a melhoria de nosso município. As críticas nos oportunizaram aprender e corrigir as falhas, eventualmente existentes, aprimorando as ações do legislativo”, diz a nota.
     
    Por fim, a Mesa Diretora informou ao público que, diante da adoção de uma política de controle de gastos e corte de despesas, houve economia na ordem de R$ 180 mil. “Mesmo não sendo obrigatória a devolução dos valores aos cofres do Poder Executivo, entendemos a importância desta quantia em investimentos para os serra-talhadenses. Por isso, foram restituídos ao tesouro geral do município para aplicação em obras de pavimentação de ruas, por corresponder a maioria dos pedidos formulados no plenário durante o ano de 2019”.

     

  • Márcia diz seguir exemplo de Sebastião; fala sobre reeleição da mãe e prega união com insatisfeitos

    Pré-candidata governista em Serra Talhada, Márcia Conrado, que ainda auxilia Duque na pasta da Saúde; resolveu colocar um ponto final quando o assunto é sua saída antecipada da cadeira de secretaria. O tema tem sido levantado em bom som, por parlamentares do bloco de oposição que tem criticado em tom de denúncia, os movimentos de Márcia, rumo a pleito eleitoral do novo ano que já se aproxima.

    “Eu acho que tantos os candidatos estavam na secretaria e até o próprio Sebastião Oliveira só saiu dentro do prazo legal, e seu acho que devo sair...eu venho respeitando tudo isso”, defendeu em recente entrevista ao comunicador Anderson Tennens.

    Outra tarefa difícil para a pré-candidata de Duque é continuidade da atuação política da mãe como parlamentar. Nos bastidores, à reeleição de Alice Conrado tem sido questionada nos corredores da Casa de Leis de Serra Talhada.

    “Isso é uma decisão entre ela e os vereadores, e não trato ela como mãe e sim como vereadora. Aqui todos são tratados por igual...eu não for interferir”, garantiu.

    FOGO AMIGO  - MARCOS GODOY, DR. NENA E FAECA

    “Não vou considerar como fogo amigo e sim como grupo democrático e até em casa a gente tem discordância, e temos pessoas fortes e destacadas...diferentes de outros grupos que tem que aceitar imposição. Esse projeto não é individual...vamos caminhar juntos com todos”, disse. 

  • Disputa no Recife opõe herdeiros de Arraes

    A disputa pela prefeitura do Recife no ano que vem deve colocar em lados opostos os dois principiais herdeiros políticos do ex-governador Miguel Arraes, que morreu em 2005. Filho do ex-governador Eduardo Campos e bisneto de Arraes, o deputado federal João Campos (PSB), de 26 anos, foi escolhido pelo partido disputar a capital pernambucana. Sua principal adversária no campo da esquerda é a vereadora Marília Arraes, 35 anos, que é neta de Arraes e prima de segundo grau de João.

    Depois da morte do pai em um acidente de avião na campanha presidencial de 2014, o deputado pessebista passou a ser visto como o herdeiro político do pai. Já Marília traçou outro caminho. O racha familiar aconteceu naquela disputa eleitoral, quando o PSB escolheu João Campos, então com 18 anos, para comandar a Secretaria Nacional de Juventude da sigla. Na ocasião Marilia era do mesmo partido do primo e seu grupo também reivindicava o cargo.

    Além da disputa interna, Marília discordou do que classificou de "guinada à direita" do PSB por ter apoiado o tucano Aécio Neves no segundo turno da eleição presidencial. "Eles queriam tirar o socialismo do partido. Então rompi e fiquei com Dilma", disse a vereadora, que então se filiou ao PT.

    Tanto João Campos como Marília evitam tratar a disputa como um racha familiar. "Política é uma coisa, família é outra", disse o jovem deputado. Em 2018, João Campos recebeu 460.387 votos e foi o deputado federal mais bem votado da história de Pernambuco. Marília Arraes, eleita pelo PT, ficou em segundo lugar, com 193.108 votos.
     

     

    Para "nacionalizar" o nome de João Campos, o PSB articulou com outros partidos de oposição e do Centrão a inclusão dele na CPI do Óleo. A pauta ambiental, aliás, foi a porta de entrada do filho de Eduardo Campos na política. Ele é uma das maiores apostas do RAPS (Rede de Ação Política pela Sustentabilidade), grupo suprapartidário criado pelo empresário Guilherme Leal, que foi candidato a vice de Marina Silva em 2010.
     
    Já Marília começou a carreira política no movimento estudantil da Universidade Federal de Pernambuco. Em 2008, ela tinha 24 anos quando se elegeu pelo PSB vereadora do Recife com 9.533 votos, sendo a parlamentar mais nova na 15ª legislatura. "Não havia essa conduta monarquista. Haviam divergências entre os grupos de Eduardo Campos, que teve uma trajetória própria, e Arraes", disse. Quando governador, Miguel Arraes, de fato, nunca estimulou seus familiares a entrar na política. Pelo contrário.
     
    Leilão
     
    Em 2018, Marília era apontada como candidata natural do PSB ao governo de Pernambuco, mas perdeu graças a um acordo nacional do partido com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - o petista, que estava preso em Curitiba e tinha visto sua candidatura à Presidência ser barrada pela Justiça, optou por apoiar o pessebista Paulo Câmara, que foi eleito e chamou o PT para seu governo.
     
    Atualmente, a ala majoritária do PT pernambucano, comandada pelo senador Humberto Costa, defende a manutenção da aliança com o PSB, que tem cargos na administração estadual. Essa tese não agrada a Lula - o ex-presidente quer que o PT lance candidatos em todas as capitais.
     

     

  • Previdência: Contra o recebimento de transferências voluntárias, Sinézio reforça birra contra Duque

     

    Insatisfeito com a pré-candidatura de Márcia Conrado para disputa do pleito eleitoral de 2020 e com emagrecimento do Partido dos Trabalhadores (PT), que perdeu sua principal estrela, o prefeito Luciano Duque (ainda sem partido); o vereador Sinézio Rodrigues (PT) resolveu manter sua tática de fazer birra contra o governo.

    Na tentativa de desqualificar a administração municipal, na última sessão do ano de 2019, realizada nesta sexta (27), Rodrigues se manifestou de forma contrária ao projeto de lei complementar n° 044/2019 e pela proposta de Emenda à Lei orgânica n° 012/2019 enviados pelo Executivo e  que tratam da  reforma da previdência Municipal. 

    Na visão do parlamentar, a proposta de emenda n° 012/2019 aprovado em 1° votação já se configura como um duro golpe no direito dos trabalhadores pois estabelece uma alteração na idade de aposentadoria dos servidores.

    "Não voto a favor dessa reforma e vou mobilizar não só a categoria da educação, mas de todos os servidores do município. Os servidores merecem respeito, merecem ser convidados para uma audiência pública para discutir essa reforma." Afirmou Sinézio Rodrigues.

    Alguém precisa avisar a Sinézio que, Estados e municípios devem se adequar à Previdência até julho e que o prazo consta na Portaria nº 1.348 do Diário Oficial – é regra!

    Regras

    Uma dessas regras é a alíquota de contribuição dos servidores ativos, aposentados e pensionistas. Estados e municípios que não adotarem a tabela progressiva da União devem ter alíquota de, no mínimo, 14%.


    Além disso, estados e municípios também terão que instituir regime de previdência complementar. Todas as alterações devem ser feitas por lei, que deverá estar em vigor até 31 de julho. Após a vigência da lei, estados e municípios terão prazo de 90 dias para implementar as mudanças.

    O cumprimento das regras é exigência para que estados e municípios tenham o Certificado de Regularidade Previdenciária, necessário para receber transferências voluntárias da União e fazer financiamentos com bancos públicos federais.

  • João Campos e Tabata Amaral celebram o Natal juntos

    A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) publicou na manhã desta terça-feira (24) uma foto acompanhada do deputado federal João Campos (PSB-PE). No registro, os deputados aparecem acompanhados de familiares de Tabata. A comemoração do Natal aconteceu na Vila Missionária, bairro de São Paulo onde a deputada foi criada.

    Na legenda da postagem a deputada afirmou que: Hoje é dia de celebrar a vida com quem amamos. Que o Natal seja repleto de abraços apertados e muita luz! Um feliz e abençoado Natal para todos vocês! A publicação de Tabata reacende a suspeita de que os parlamentares estejam namorando. A relação nunca foi confirmada. 

    Em setembro deste ano o colunista Noblat afirmou que os deputados estariam envolvidos em um relacionamento amoroso, tendo aparecerido pela primeira vez em público juntos durante o Festival Na Praia, em Brasília.

     

    Em julho, o noivado de João Campos, filho do ex-governador Eduardo Campos, com Lara Santana chegou ao fim. Segundo informações do Blog do Magno, o casal iria confirmar a união em novembro deste ano na casa dos pais da noiva em Muro Alto, Litoral Sul do estado de Pernambuco.  

  • Paulo Câmara sai em defesa de Ricardo Coutinho: Não dá para pré-julgar

    Vice-presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), armou nesta segunda-feira (23), em entrevista à Rádio Jornal, que espera que o partido não adote ainda medidas contra o ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho, alvo da Operação Calvário, e espere o processo.

    “É um ex-governador que respeito, foi solidário conosco e está passando por muita diculdade. Vou defender no âmbito do PSB que aguarde”, disse. Coutinho é um dos principais nomes do PSB no Nordeste e é presidente da Fundação João Mangabeira, do partido. Em entrevista ao UOL, o ex-governador negou irregularidades e armou ser alvo de perseguição. “Estamos em meio a uma guerra violenta.

    Não é só comigo. Eu estou sendo massacrado. Essa construção de narrativas não visa somente me atacar. Existe um claro mapeamento sobre o partido e sobre o nosso grupo de militantes”, disse. Paulo Câmara armou que “não dá para pré-julgar”. “O governador já se manifestou dizendo que é inocente”, disse.

    Ele lembrou também ter feito ações em parceria com a gestão de Ricardo Coutinho, como a Adutora do Alto Capibaribe, para captar água da transposição do rio São Francisco na Paraíba para atender a região de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco. Nos estados vizinhos, enquanto Paulo Câmara estava no primeiro mandato, Coutinho cumpria o segundo. 

     

  • Carlos Evandro: Inocêncio tem que puxar a sardinha pra o lado dele [Victor] mesmo

    carlos-e-j-nior-campos

    Durante um evento que premiou o Juiz Dr. Marcos Gadelha com o título de Cidadão Florense na noite do último Sábado (21), o ex-prefeito de Serra Talhada, Carlos Evandro, concedeu uma entrevista para este blog, e falou sobre gestão municipal, pré-candidatos, dissensões em seu grupo e política 2020.

    Sobre administração pública, Carlos ponderou em tom crítico uma situação, segundo ele, difícil para os municípios e gestores dizendo que "às vezes você é taxado por uma culpa que não é sua. A união não repassa os recursos e quem paga o pato é o prefeito. Hoje você tem que ter muita coragem para enfrentar e ter muita determinação e amor por sua terra para ser um prefeito", desabafou Evandro.

    Já sobre seu grupo e uma possível candidatura sua e uma análise sobre os pré-candidatos da oposição e da situação, Victor Oliveira e Márcia Conrado, respectivamente, Carlos Evandro disse:

    "Eu nunca impus minha candidatura. O critério seria pesquisa, unir o grupo e deixar que o povo decida. Está tendo esses ruídos dentro do grupo, mas eu vou conversar com Sebastião e nós vamos resolver isso. Não tenho nada pessoal contra Victor. Vamos deixar o povo decidir, mas vamos respeitar o critério de pesquisa. Eu não sou inimigo de Márcia e nem do Prefeito. Nós somos adversários políticos, apenas isso", explicou o ex-prefeito de Serra Talhada justificando as rusgas que têm aparecido pela imprensa dentro do grupo da oposição nos últimos dias.

    Evandro ainda se manteve firme ao ser questionado sobre sua participação na corrida eleitoral à Prefeitura no ano que vem e, também justificou a preferência de Inocêncio Oliveira pelo neto Victor usando a frase “Inocêncio tem que puxar a sardinha pra o lado dele mesmo. É um homem que tenho muito respeito”, contudo, Carlos ainda afirmou acreditar que em 2020, ele e seus correligionários e aliados, incluindo o próprio Inocêncio, farão uma campanha de alto nível e estarão todos unidos.

  • Após afastamento de prefeito, vice e vereadores, novo presidente da Câmara é eleito e assume gestão

    Após o afastamento do prefeito, vice-prefeita, quatro secretários municipais e três vereadores, entre eles o presidente, em Itapissuma, no Grande Recife, o novo presidente da Câmara de Vereadores foi eleito, neste domingo (22), e assumiu a prefeitura.

    Jean Alves Carlos do Santos (PSD) substitui Zé de Irmã Teca (PSD), que foi alvo da Operação Dragão do Mar, da Polícia Civil, que investiga desvio de R$ 10 milhões pagos para cabos eleitorais. Cinco dos 11 vereadores compareceram à sessão extra e os três suplentes dos afastados foram convocados, totalizando oito parlamentares.

    Jean, conhecido como Gea, foi eleito presidente da Câmara de forma unânime, com oito votos, e renunciou ao cargo logo em seguida para assumir a prefeitura.

  • Bolsonaro avalia Moro como vice na chapa em 2022

    O presidente Jair Bolsonaro avaliou abertamente neste sábado (21) a possibilidade de uma chapa com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, como seu vice nas eleições de 2022. Ele disse que é cedo para se apostar na composição com o ex-juiz da Operação Lava Jato. Mas afirmou que Moro, apesar de ainda não ter virado político, "está em adaptação".


    A menção a Moro acontece na semana em que seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), foi alvo de busca e apreensão em investigação sobre suposto desvio de verbas na Assembleia Legislativa do Rio.

    Segundo o presidente,"todo mundo fala" que o ministro, caso concorra à eleição presidencial de 2022, “tem muita chance”. “Agora, tem de perguntar pro Moro se ele quer, ele agora sabe o que é política.”

    Ao mesmo tempo, Bolsonaro admitiu que, se for preciso, pode substituir o general Hamilton Mourão como candidato a vice. “Se eu estiver bem, posso ser candidato à reeleição. Questão do vice é peça fundamental na campanha. Mourão está indo bem. Agora, vamos supor que eu esteja razoavelmente bem e tenha que trocar essa peça: já falei com Mourão sobre isso aí.”

  • Duque convida petistas para uma reflexão: Márcia não foi escolhida por mim

    Devido as especulações e rumores de algumas adversidades e descontentamento de alguns integrantes do bloco político governista, com a escolha de Márcia Conrado como a pré-candidata da situação; o Prefeito Luciano Duque resolveu se pronunciar através de ponderações e justificativas, após a afirmativa do petista, Júnior Moraes, de que, não foi  ao lançamento da pré - candidatura de Márcia Conrado por falta de tempo. 

    Em tom explicativo e alimentado por desabafo,  Duque que vem pregando os valores dos seus correligionários e lideranças políticas no processo de sua ascenção política e avanços econômicos, com destaque nacional - nas entre linhas -  Duque  ponderou que o PT e a militância de muitos que fazem a legenda como um fator preponderante para sua eleição, reeleição e possível feito de sucessão dizendo:  "Se cheguei onde estou foi com muita luta" 
     
    Sobre à escolha de Conrado, Luciano  fez questão de frisar que, "fizemos um processo democrático ouvimos à população, lideranças e Márcia foi ungida por um processo democrático, respeitando a todos. Márcia não foi escolhida por mim, se submeteu a um processo e nunca teve preguiça de correr atrás, mesmo sendo mãe e profissional", defendeu completando:
     
    "Foi escolhida pelo povo e pela maioria do grupo e os que rejeitam estão indo de encontro ao sentimento de um grupo e do povo",  cravou em um recado direto ao PT. 
     
    O Prefeito de Serra Talhada ainda convocou os birrentos e descontentes, para um momento de reflexão. 
     
    "Deviam defender o legado construído por todos nós... o governo não é Luciano e a expressão do desejo de um povo que voltou a ter orgulho de sua terra. Segundo PIB do sertão. Esse ano criamos mais de 3 mil empregos. Depois de Petrolina fomos o segundo em saldo de empregos, Fomos segundo no Brasil em gestão fiscal, premiados pelo insper. Temos muitas políticas que mudaram a cara de nossa terra", disse e conversei continuou: 
     
    "Vou continuar defendendo essas bandeirasseria mesquinho de minha parte se não reconhecesse os méritos de um grupo destemido que mudou a relação de poder é governança com o nosso povo."
     
     Duque ainda parabenizou  todos os  servidores municipais, "que construíram uma nova Serra Talhada." Éramos o 89 no índice Firjan. Hoje somos o 18. Temos que bater palmas a todos que construíram esses resultados"; finalizou. 
     

     

  • Em tom de desprezo, petista diz que não prestigiou Márcia por falta de tempo

    Depois do anúncio de Márcia Conrado como candidata à Prefeitura de Serra Talhada, na última quarta (18), posturas e lideranças políticas do Partido dos Trabalhadores, legenda que elegeu e reelegeu o Prefeito Luciano Duque, gera controvérsias.

    Um dos principais petistas da Capital do Xaxado, Júnior Moraes, em contato com este blog, justificou sua ausência no evento por falta de tempo, o que corrobora a apatia do também petista e vereador Sinézio Rodrigues que tem demonstrado nos últimos tempos birra contra o governo assinado por Duque.

    Tanto os principais nomes do partido como seus integrantes parecem não estar satisfeitos com pré - candidata da situação, e isso foi demonstrado, com a ausência da legenda no ato do anúncio e as reações adversas e apáticas do Vereador Sinézio, que denotam um certo desprezo por Márcia Conrado.