• Marconi defende que FPM não seja apenas pelo critério populacional, mas também pela área territorial

    Em Brasília, nesta quarta-feira (18), o prefeito de Flores e Presidente do Cimpajeú – Consórcio de Integração dos Municípios do Pajeú, Marconi Santana (PSB), protocolou junto a CNM – Confederação Nacional dos Municípios, um pedido de análise do cálculo do repasse do FPM – Fundo de Participação dos Municípios.

    No documento, Marconi defende que o cálculo do rateio deverá ser feito não só pelo o número de habitantes, como também, pelo os tamanhos de suas áreas territoriais.

    “Independente do tamanho de sua área territorial, os municípios precisam manter investimentos no transporte de escolares, enfermos, equipes médicas e etc., embora em alguns, isso possa ser efetivado em pequenos percursos graças as suas poucas dimensões territoriais, enquanto outros necessitam de um dispêndio financeiro maior em razão de sua maior extensão territorial, mesmo que possua como é frequente, o mesmo coeficiente do FPM, em face de possível semelhança densidade populacional”; Explica o gestor.

    Ao solicitar o empenho da CNM, para que estude a sugestão, Marconi reforça que a nova forma do cálculo visa “equacionar essas divergências, de forma a garantir que cada município receba sua parcela do FPM, não apenas pelo critério populacional, mas, também, em razão da extensão de sua área territorial”, reforçou.

  • Prefeitos de PE cobram empenho da bancada federal em prol das causas municipalistas

    Como programado, os prefeitos de Pernambucos estiveram reunidos nesta quarta-feira (18), no auditório Freitas Nobre da Câmara Federal. O encontro se formou após uma movimentação frustrada, semana passada, por prefeitos da Paraíba em direção ao presidente Michel Temer (PMDB), que acabou motivando e alertando a CNM e AMUPE para uma verdadeira mobilização, com uma pauta em defesa das principais dificuldades financeiras enfrentadas pelos gestores.

    Inscrito, o prefeito Manuca de Custódia (PSD), não só reforçou o lamento dos prefeitos, como fez uma dura cobrança aos deputados federais presentes na reunião: "queremos ver quem vai cumprir com o que diz e assina".

    Luciano Duque (PT), em tom de desabafo externou que diariamente os prefeitos estão sendo criminalizados.

    "Basta atrasar e vamos responder com o nosso patrimônio as multas do atraso. Começa a se criar a criminalização do prefeito"; lamentou Duque completando:

    "Hoje é grave a situação dos prefeitos e vamos sair daqui tendo que demitir"; Finalizou.

    José Patriota (PSB), prefeito de Afogados e presidente de AMUPE alertou sobre a tramitação da PEC - 275/2016, que inclui a guarda municipal entre os órgãos de controle do munícipio.

    "Prefeitos não tem condições de absorver mais esta responsabilidade. Tem umas séries de bombas rodando ai e caindo nos peitos dos prefeitos. Aumentam as despesas e não dizem a fonte", criticou.

    O deputado federal André de Paula do PSD, diante das cobranças dos prefeitos por uma frente em defesa das causas municipalistas desabafou:

    "Eu nunca fui procurado pela CNM e pelos meus prefeitos para não priorizar a pauta municipalista. No meu gabinete eu recebo com respeito. Foi assim que aprendi na minha vida pública”, sustentou.

    André ainda saudou o movimento: "essa indignação é salutar eu sou municipalista. Eu estou na briga e quero ser demandado".

    Houve um momento de embate entre o deputado federal Silvio Costa e Augusto Coutinho. Silvio se esqueceu da pauta municipalista e acabou politizando a discussão ao imputar ao presidente Michel Temer (PMDB) as dificuldades enfrentadas pelos gestores.

    "Discussão menor e pequena. Ele politizou a discussão". Coutinho questionou o discurso do petebista em tom de provocação. "Silvio defende a quadrilha do PT". O deputado ainda cobrou da CNM mais mobilização em defesa dos munícipios.

    Estiveram presentes os deputados federais: Marinado Rosendo (PSB), Silvio Costa (PTB), Kaio Maniçoba (PMDB), André de Paula (PSD), Felipe Carreiras (PSB), Wolney Queiroz (PDT), Eduardo da Fonte (PP), Adalberto Cavalcanti (AVANTE), Gonzaga Patriota (PSB), Gonzaga Patriota (PSB), Kaio Maniçoba (PMDB) e Felipe Carreras (PSB) e Betinho Gomes do PSDB.

    Deputados como Tadeu Alencar do PSB e Danilo Cabral do mesmo partido, justificaram a ausência. Danilo, por exemplo, estava na votação do prosseguimento da denúncia contra Temer na CCJ.

     

  • Sinézio sai em defesa do PL das calçadas, mas reconhece falha na tramitação do projeto

    Durante a sessão ordinária da última segunda-feira (16), o vereador Sinézio Rodrigues, com assento no bloco governista, fez uma defesa fervorosa do Projeto de Lei 44/2017 despachado pelo executivo, que regulamenta o uso de espaço público pelos ambulantes e vendedores do mercado informal. Na visão do parlamentar, a polêmica foi desnecessária, por falta de leitura dos vereadores de oposição. 

    “Não vamos criar polêmica de um projeto, que não está criando novos impostos. Eu quero deixar bem claro que o Projeto de Lei 44 não cria um novo imposto. O Projeto de Lei, que cria impostos  foi o Código Tributário Municipal aprovado em 2005, por esta casa. A gente tem que ler o Projeto"! Exclamou Rodrigues.  

    Já com relação a proibir ambulantes nas calçadas e ou nas vias públicas, o vereador do PT – Partido dos Trabalhadores disse que já teria sido aprovado em 2006 (Código de Postura). “Projeto que proíbe e ver a questão da acessibilidade. Onde é que está a acessibilidade dos idosos e das crianças e dos deficientes físicos”; Defendeu o parlamentar.  

    Rodrigues ainda incitou os vereadores de oposição, Gilson Pereira do PROS e Antônio de Antenor do PR, ao dizer que, “estão criando todo um espetáculo e ainda dizem que esta Câmara é imoral, mas não diz quando foi criada esta Lei.

    Além do duro discurso em direção aos colegas parlamentares, Sinézio reconheceu que houve um erro, em não abrir uma ampla discursão na Câmara de Vereadores com a população, para que fosse esclarecido o Projeto de Lei 44/2017.

    “Esse tipo de projeto precisa ser precedido de audiência pública, para que a gente possa esclarecer. Trazer, inclusive, o povo do governo e mostrar esse outro lado”; criticou.

  • Ministros pernambucanos aderem mobilização de Prefeitos

    Não só foi Menodonça Filho do DEM, Ministro de Educação que compareceu a reunião na sede da CNM em Brasília, com os ptefeitos de Pernambuco. Mais dois auxialires de Temer do PMDB compareceram: Bruno Araújo de Cidades e Fernando Filho de Minas Energia, que também vieram estender as mâos aos gestores.

    Bruno defendeu que os reclames dos prefeitos ao presidente deverá ser feito via CNM e não de forma isolada por estados. O ministro tucano aunda se propôs a receber todos os prefeitos em seu gabinete às 18h. Bruno ainda elogiou a Amupe pela forma que vem conduzindo as duscursões.

  • Prefeitos do Pajeú chegam a sede da CNM

    Imagens: Júnior Campos

    Prefeitos do Pajeú e região do sertão central de outras regiões de Pernambuco começam chegar a sede da CNM - Confederação Nacional dos Municípios. Por aqui, o presidente da Amupe, José Patriota de Afogados da Ingazeira, Marconi Santana - Presidente do Cimpajeú e prefeito de Flores, Luciano Duque - prefeito de Serra Talhada, Zeinha de Iguaraci, Tânia de Brejinho, João Batista de Triunfo-PE, Adelmo Moura de Itapetim, Mário Flor de Betânia, Sávio Torres de Tuparetama e Manuca de Custódia.

    O ministro da educação, Mendonça Filho (DEM) foi o único auxiliar de Temer a comparecer e firmar apoio a pauta dos gestores que buscam fechar uma pauta com a bancada de deputados e senadores votados em Pernambuco, em prol de um aporte financeiro para sair da crise financeira e garantir o repasse suficientes para o custeio dos serviços na área de saúde, educação e assistência social. Os prefeitos ainda reclamam das drásticas quedas do FPM.

  • Paulo Câmara sanciona lei que requalifica o Proupe

    O governador Paulo Câmara sancionará, nesta quarta-feira (18.10), no Palácio do Campo das Princesas, a Lei que requalifica o Programa Universidade para Todos em Pernambuco (Proupe). O intuito é aperfeiçoar as competências técnicas e profissionais, de nível superior, nas áreas de Ciências, Tecnologia, Engenharias, Matemática e Computação (STEM+C).

    O Proupe concede bolsas de estudo para alunos do Ensino Superior em autarquias municipais sem fins lucrativos.

    A medida busca iniciar uma nova etapa do programa, com foco no reforço da formação qualificada de recursos humanos e no desenvolvimento de novos talentos em áreas de importância estratégica para as economias criativa e digital.

  • Fernando Bezerra (PMDB) votou a favor de Aécio, Humberto (PT) contra e Armando (PTB) não compareceu

    Por 44 votos contra 26, o plenário do Senado Federal derrubou, nesta terça-feira (17), a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato e mantê-lo em recolhimento noturno. Dos três senadores de Pernambuco, dois participaram da votação: Fernando Bezerra Coelho (PMDB) e Humberto Costa (PT).

    O petista Humberto Costa se colocou a favor do afastamento do senador tucano. Já o peemedebista votou a favor de Aécio Neves.

    O senador Armando Monteiro Neto (PTB) não esteve presente na sessão. O petebista integra missão parlamentar aos Emirados Árabes, onde participa do WorldSkill - competição de educação profissional, além de participar de encontros com autoridades locais.

  • Ao vivo: Senado decide sobre afastamento de Aécio Neves

    O Senado decide nesta terça-feira se o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pode voltar a exercer o mandato parlamentar. O tucano está afastado da Casa desde o final de setembro, quando a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) tomou a decisão, por 3 votos a 2, com base nas investigações contra o mineiro a partir das delações premiadas de executivos do Grupo J&F. O colegiado também impôs a Aécio o recolhimento noturno, medida que, assim como a suspensão do mandato, pode ser derrubada no plenário do Senado.

  • Na CCJ, Danilo Cabral a favor da abertura de processo contra Temer

    Na tarde de hoje (17), o deputado federal Danilo Cabral (PSB) apresentou seu voto em separado na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados, onde está tramitando a denúncia contra o presidente da República, Michel Temer, e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência da República).

     

    O voto em separado do deputado Danilo Cabral é uma manifestação alternativa e contrária ao relatório apresentado pelo deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) na comissão no último dia 10. No parecer, o relator optou por negar a autorização para que processo contra Temer e os ministros seja aberto. Danilo Cabral discorda e, por isso, apresentou seu voto em separado.

     

    Segundo o deputado, a denúncia é gravíssima e é preciso garantir que os fatos sejam apurados e que o processo tenha prosseguimento. "A sociedade está acompanhando atentamente. A acusação aponta que as investigações da Polícia Federal identificaram várias evidências de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e obstrução à justiça envolvendo o presidente Temer e seu núcleo político mais próximo. É muito grave", destacou Danilo.

     

    Em seu pronunciamento na CCJC, o deputado abordou conceitos jurídicos, realizando uma análise técnica que justifica a admissibilidade da denúncia. O parlamentar ressaltou ainda aspectos relevantes da denúncia, como a organização criminosa, sua gênese, estrutura e modo de operação; crimes praticados pelos acusados; e o embaraço a investigações criminais e obstrução à justiça.

     

    Danilo Cabral reforça que a finalidade da autorização da Câmara dos Deputados é permitir que o Supremo Tribunal Federal exerça, em um juízo técnico-jurídico, o processamento da denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República. "O processo criminal não é uma atribuição da Câmara dos Deputados, em que pese os delitos descritos na denúncia tenham gravidade que saltam aos olhos. A autorização que os deputados devem aprovar é para garantir o prosseguimento da investigação no âmbito do STF", explicou o deputado.

     

  • Marília Arraes cumpre agenda em ST. Para Duque, o momento será um divisor de águas para o PT

    Pretensa candidata ao governo de Pernambuco, pelo o Partido dos Trabalhadores – PT, Marília Arraes vai liderar, Encontro de Vereadores que, será sediado na Serra Talhada, cidade administrada pelo petista Luciano Duque. Em Pernambuco há 38 vereadores eleitos pela sigla.

    Grande entusiasta e defensor ao nome de neta de Arraes, Luciano Duque (PT), acredita que o “este Encontro será um marco divisor para o Partido”. Duque ainda defende a unidade e reconstrução da legenda.

    “Acreditamos que a unidade será construída a partir da compreensão que nosso projeto para Pernambuco passa pelo resgate da construção política que deu certo no Brasil", disse o Prefeito Luciano Duque.

    Na visão dos organizadores do evento, o momento terá como objetivo a “troca de experiências exitosas entre os mandatos petistas, em diversas cidades pernambucanas, bem como reafirmar o compromisso perante os movimentos sociais que tanto se comprometem com a conquista e aplicação de políticas que fortaleçam o povo”.

    Entre as presenças confirmadas para a atividade estão o Senador Humberto Costa, Bruno Ribeiro, Presidente do PT Pernambuco e a Vereadora Marília Arraes.

     

     "Esse encontro tem uma importância estratégica não só para o PT, mas também para o legislativo municipal de todo o Estado. Afinal, a troca de conhecimento e experiências é essencial para que nós, vereadoras/es tanto da região metropolitana quanto do interior, possamos avançar em ações e projetos voltados para o cuidado com as cidades e às populações que representamos. Com líder da bancada de oposição da Câmara dos Vereadores do Recife, nossa capital, e como parlamentar do PT fico muito feliz em poder estar com meus companheiros e companheiras construindo uma nova forma de planejar e trabalhar mandatos cada vez mais democráticos e participativos. Este é o primeiro encontro de muitos que ainda virão", disse Marília.

     

    No sábado (21), estão programados debates sobre comunicação alternativa e colaborativa e análises de conjuntura. 

  • Amupe articula encontro em Brasília com a bancada federal

    O presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota (PSB), articula com os prefeitos pernambucanos um encontro nesta quarta-feira (18), em Brasília, junto a bancada federal do Estado no sentido de pressionar o governo federal para a situação financeira dos municípios. Mais de 80 prefeitos já confirmaram presença, de acordo com informações da Amupe.

    Na programação, reunião com os gestores na Confederação Nacional dos Municípios (CNM) para discutir a pauta municipalista e a urgência da aprovação do apoio financeiro municipal, às 9h, e reunião nas salas das comissões da Câmara, com os parlamentares, às 17h.

    A principal reivindicação dos gestores é uma solução a curto prazo, em forma de ajuda financeira emergencial, para que os municípios possam fechar as contas, principalmente com a chegada do final do ano, quando precisam pagar o 13º salário aos servidores municipais, além de outras obrigações.

    O movimento vem crescendo desde uma mobilização em Brasília, no começo do mês, junto com a CNM. A princípio, constava na programação audiência com o presidente Michel Temer (PMDB). No entanto, o encontro foi cancelado, tendo a CNM e os prefeitos sido recebidos pelo presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (PMDB-RJ).

    Segundo a Amupe, o peemedebista se comprometeu junto aos prefeitos a falar com o presidente sobre as reivindicações municipalistas, principalmente sobre o auxílio financeiro aos municípios ainda para este ano. Os pleitos foram convertidos em ofício, protocolado pela Confederação e respondido pela Presidência da República no dia 6 de outubro. A demanda teria sido direcionada aos ministérios competentes.

    A CNM também elaborou um ofício onde solicita a edição de uma Medida Provisória para envio de Apoio Financeiro aos Municípios (AFM) de forma emergencial.

  • Dilma usará delação de Funaro para pedir anulação de impeachment

    A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou nesta segunda-feira 16 que vai apresentar informações referentes à delação do empresário Lúcio Funaro para reforçar um pedido de anulação do impeachment em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF).

    Em delação, Funaro afirmou que repassou ao então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), 1 milhão de reais para comprar apoio de deputados favoráveis ao afastamento de Dilma. Detalhes da delação do empresário tornaram-se públicos nos últimos dias após a divulgação do vídeo da colaboração de Funaro. O mesmo vídeo consta do procedimento que corre na Câmara a respeito da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB).

  • Temer envia carta a parlamentares e diz ser vítima de conspiração

    Preocupado com os desdobramentos da nova crise entre o Planalto e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), depois da nota distribuída pelo seu advogado Eduardo Pizarro Carnelós classificando de “vazamento criminoso” o vídeo com a delação de Lúcio Funaro, o presidente Michel Temer (PMDB) resolveu escrever uma carta de quatro páginas dirigida aos parlamentares não só para se defender das acusações feitas pelo operador do PMDB, mas para dar “explicações”, “satisfações” e “desabafar” diante da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra ele.

    “É um desabafo. É uma explicação para aqueles que me conhecem e sabem de mim. É uma satisfação àqueles que democraticamente convivem comigo”, disse Temer, que não se refere à trapalhada nota de seu advogado, ou aos posteriores “esclarecimentos” dele de que chamou de vazamento criminoso porque não sabia que estava publicado no site da Câmara.

    O episódio gerou um novo desgaste na relação entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia e Temer, às vésperas da votação da segunda denúncia contra ele, no Congresso. Maia é o responsável por ditar o ritmo da votação e, nos bastidores, já promete retaliação ao presidente.

    Na carta, Temer prega ainda “a pacificação” e cita sua disposição de conversar e dialogar, alegando que não acredita na tese do “nós contra eles”, mas “na união dos brasileiros”, com “serenidade, moderação, equilíbrio e solidariedade”, certo de que, com esta carta, “a verdade dos fatos será reposta”.

    Temer começa a carta enviada a deputados e senadores falando da sua “indignação” e diz que, por isso, decidiu se dirigir aos parlamentares, apesar de muitos o aconselharem a não se pronunciar. “Para mim é inadmissível. Não posso silenciar. Não devo silenciar. Tenho sido vítima desde maio de torpezas e vilezas que pouco a pouco, e agora até mais rapidamente, têm vindo à luz. Jamais poderia acreditar que houvesse uma conspiração para me derrubar da Presidência da República. Mas os fatos me convenceram. E são incontestáveis”, diz o presidente que passa a listar os ataques sofridos desde a delação da JBS, que implicou sua gestão.

    Ele faz contundentes críticas à atitude do ex-procurador Rodrigo Janot, a quem acusa de ter acertado com Joesley Batista as acusações contra ele, que reiterou serem mentirosas e fazerem parte de “uma urdidura conspiratória”. “Tudo combinado, tudo ajustado, tudo acertado, com o objetivo de: livrar-se de qualquer penalidade e derrubar o presidente da República”, desabafou.

     

    Fonte: Veja

  • Luciano Duque (PT) diz que prefeitos estão sub-representados e faz desabafo

    Luciano Duque (PT) na Marcha para os Prefeitos em Brasília. imagem: Júnior Campos

    O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque do PT, com presença confirmada amanhã em Brasília, em meio ao momento de agravamento da crise financeira que se alargou nos municípios, ao falar com Júnior Campos, Duque alertou para a falta de uma voz municipalista na Câmara e no Senado Federal.  

    “No congresso nacional temos as bancadas em defesa dos evangélicos, ruralistas, bancários... só não tem a bancada municipalista. Todos impõe uma pauta e nós ficamos à mercê dos interesses menores”; Desabafou o gestor continuando:

    “Se acompanharmos as decisões do congresso veremos que estamos sub- representados. Nós elegemos os deputados e senadores e na hora da pauta e da defesa, os municípios só perdem”, disse.

    Em tom desabafo, Luciano Duque finalizou dizendo que, “é chegada a hora do acerto de contas. Cuidamos de tudo: educação, saúde, agricultura, assistência social e ficamos com a menor parte dos recursos. As despesas crescem e as receitas caem”; Desabafou.

     

  • Marconi volta a Brasília para cobrar promessas de emendas e defender pauta municipalista

    O prefeito de Flores, Marconi Santana do PSB, que também lidera um grupo de prefeitos da região do Pajeú e Moxotó, através do Cimpajeú – Consórcio de Integração dos Municípios do Pajeú adiantou na última sexta-feira (13), durante entrevista ao jornalista Adriano Roberto, via cadeia de rádio, encabeçada pela florescer FM, que volta ao distrito federal, nesta terça-feira (17).

    Marconi explicou durante entrevista que “vou fazer o acompanhamento das consolidações das emendas parlamentares, pois creio que todos àqueles de nos prometeram vão alocar estes recursos para a compra da usina de asfalto que irá contemplar quase 20 municípios da região do Pajeú e do Moxotó”, explicou Marconi.   

    Santana ainda fez um convite para os prefeitos pernambucanos para uma reunião que acontecerá na quarta-feira (18), na sede da CNM – Confederação Nacional dos Municípios, com a bancada de deputados federais e senadores votados em Pernambuco.

    “Vamos consolidar essa união entre nós prefeitos, para que nós possamos lutar por nossa causa, a causa do municipalismo”; Defendeu.

    Na reunião será definida a pauta que será levada a sala das comissões da Câmara Federal, que terá com conteúdo central o pedido da edição de uma medida provisória para envio de Apoio Financeiro aos Municípios (AFM) de forma emergencial no valor de R$ 4 bilhões.

  • PT decide votar pelo afastamento do senador Aécio Neves

    Em que pese ter divulgado uma nota criticando a decisão do Supremo Tribunal Federal de afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato, a bancada do PT decidiu neste final de semana votar a favor das medidas cautelares aplicadas contra o tucano.

    A informação foi dada pelo líder da Oposição, senador Humberto Costa (PT-PE), como que fazendo “mea culpa” por ter divulgada a nota de solidariedade ao senador por entender que o STF não poderia ter tomado aquela decisão.

    Segundo ele, a nota de solidariedade a Aécio teve “caráter institucional”, de defesa da autonomia dos poderes, e não de apoio ao senador mineiro.

    Por isso, garantiu, os 9 senadores do partido deverão votar a favor do afastamento do senador do cargo, conforme decisão do ministro Luís Roberto Barroso (STF).

  • Rodrigo Maia chama advogado de Temer de incompetente

    O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chamou neste domingo (15) de “incompetente” o advogado de defesa do presidente Michel Temer, Eduardo Carnelós.

    O parlamentar disparou críticas após o responsável pela defesa do presidente ter classificado como “vazamento criminoso” a divulgação dos vídeos da delação do operador financeiro Lúcio Funaro, que atingem Temer. “Não teve vazamento. O advogado é incompetente”, disse Maia.

    Fonte: Veja

  • Prefeitos de PE voltam a Brasília e a insistência de Sebastião em colocar Duque em um plano maior

    AGENDA: Pelo menos 70 prefeitos de Pernambuco já confirmaram presença em Brasília, na próxima terça-feira (18), onde terão uma reunião com a bancada de deputados federais e senadores do Estado.

    DA REGIÃO: Dos gestores ligados ao Cimpajeú, presidido por Marconi Santana de Flores estarão na Capital Federal: Luciano Duque – Serra Talhada, Manuca – Custódia, José Patriota – Afogados da Ingazeira, Sávio Torres – Tuparetama, Mário Flor – Betânia, João Batista – Triunfo, Zeinha – Iguaraci, Tânia – Brejinho e Adelmo Mora – Itapetim.

    FOI BEM ASSIM: Os prefeitos voltam ao Distrito Federal, após uma pauta não concretizada com o presidente Temer (PMDB). Isso pela falta de unidade dos gestores da Paraíba, que o tempo todo só se preocupavam em discutir qual o Estado teria idealizado o levante contra o presidente. O que acabou em um bate cabeça e as questões municipalistas ficando em segundo plano. Nem mesmo o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), aprovou o comportamento dos gestores paraibanos.

    INQUIETO: deputado federal licenciado, Sebastião Oliveira do PR, insiste em colocar com suas próprias mãos, o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), em um plano estadual e por que não dizer nacional. O auxiliar de Câmara na Secretaria de Transportes, não se controla e mantém da janela do Palácio do Campo das Princesas, o alto tom contra com Duque, que devolve ao secretário na mesma altura. A diferença é que, Duque ganha repercussão estadual e Oliveira sai menor, já que é um deputado federal, e não deveria partir para o confronto com Duque.

    ALIANÇA: Como adiantamos aqui, em primeira mão, está cada vez mais próxima à chegada do Partido dos Trabalhadores ao Palácio do Campo das Princesas. O governo Paulo Câmara, vem se debruçando no intuito de definir onde vai alocar as principais lideranças da legenda.

    2018: Enquanto o PSB e PT ensaiam a aliança, Marília Arraes vai acelerando os passos, em busca de ser apontada pelo partido para disputar a cadeira de governadora, hoje ocupada por Paulo Câmara do PSB. Na próxima sexta (20), a neta de Arraes estará em Serra Talhada.

  • Prefeitura de Flores garante programação especial para o dia das crianças

    Lugar de Criança é no Parque! É com essa chamada convidativa que a prefeitura municipal de Flores, através da Secretaria de Turismo e Eventos do município, preparou a programação para o dia das crianças florenses.

    A programação começou na última terça-feira, dia 10 de Outubro, e hoje no dia 12, a criançada vai finalizar a programação festiva na Sede, às 17h.

    Os pequenos contarão com muita diversão, com parque, algodão doce, pipoca, picolé e muita animação com a companhia de dança Flor Arte, às 17h.